Compreenda as Relações Ecológicas Interespecíficas Negativas

Já vimos em nossas postagens anteriores sobre as relações intraespecíficas e as relações interespecíficas positivas. Nestas postagens, mostramos quais são as relações, ilustrando com exemplos cada uma delas. O objetivo da postagem a seguir será definir quais são os tipos de relações ecológicas interespecíficas negativas, demonstrando exemplos que acontecem em nossa natureza.

Como já estudamos anteriormente, as relações ecológicas interespecíficas são aquelas interações ecológicas realizadas por seres vivos de uma mesma comunidade, porém que pertencem a espécies diferentes. Essas relações podem ser de dois tipos: positivas (também denominadas harmônicas) ou podem ser negativas (que também recebem o nome de relações desarmônicas).

Nas relações harmônicas, ambos os seres vivos envolvidos são beneficiados, ou seja, para ambos esta relação é vantajosa, o que ocasiona ganhos para ambos os envolvidos. Por sua vez, as relações desarmônicas são aquelas onde pelo menos uma das partes envolvidas será prejudicada. Portanto, enquanto um ser vivo pode ou não ser beneficiado, o outro certamente é prejudicado.

Como falamos, o foco desta postagem está nas relações negativas, e para isso vamos observar cinco diferentes interações, que são: competição interespecífica, parasitismo, predatismo, amensalismo e herbivoria. Vamos agora estudar cada uma destas relações.

Competição interespecífica

Estudamos anteriormente a competição intraespecífica, que era a disputa entre seres de uma mesma espécie. A competição interespecífica é exatamente o mesmo exemplo de competição, seja por território, ou por comida. No entanto, como se trata de uma relação interespecífica, essa disputa se dá por duas espécies diferentes! Por exemplo, temos a competição por alimento entre o gado e o gafanhoto, que se alimentam basicamente de capim. Ou ainda as corujas, gaviões e cobras, que podem disputar os roedores de uma determinada região.

Parasitismo

O parasitismo é definido como uma relação ecológica interespecífica na qual um organismo vive dentro de outro, e retira deste ser vivo (hospedeiro) o seu alimento. Fato importante é que normalmente os parasitas possuem tamanho muito menor que os hospedeiros, e muitas vezes um hospedeiro é habitado por diversos parasitas.

Como exemplos, citamos os piolhos, que são muito comuns na maioria das crianças, e também os carrapatos, que normalmente são parasitas de cachorros e cavalos, e que podem transmitir diversas doenças.

Predatismo

No predatismo, um organismo mata e se alimenta de um ser vivo de outra espécie. A espécie que se alimenta é denominada predador, enquanto a devorada recebe o nome de presa. Por exemplo, temos os leões, um dos mais conhecidos predadores, que se alimentam de diversos animais, tais como as zebras.

Amensalismo

No amensalismo, a presença de uma determinada espécie promove a inibição do crescimento de outra, ou a sua reprodução. Como exemplo, temos alguns fungos que impedem o desenvolvimento de bactérias. Esses fungos são utilizados como antibióticos nos seres humanos.

Herbivoria

Na herbivoria, alguma espécie animal se alimenta de alguma planta. Por exemplo, as girafas e zebras são animais herbívoros, uma vez que a sua alimentação é baseada em plantas e folhas.

Com isso, estudamos sobre todos os tipos de relações ecológicas, tanto as interespecíficas, como as intraespecíficas. Como observamos, algumas dessas relações são benéficas enquanto outras são prejudiciais, mas todas estão presentes em nossa natureza!

Compartilhar
Manual do Sisu e Prouni

Receba GRATUITAMENTE o Manual para Sisu e ProUni




Sim Não




Outros artigos que você vai gostar:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *