Redação Enem: A Importância da Proposta de Intervenção

Hoje, dia 15 de outubro, é comemorado no Brasil o dia do professor e, por esse motivo, antes de dar início ao texto, gostaria de parabenizar todos os professores que acompanham o infoEnem e que nos prestigiam com as suas participações, assim como os docentes que fazem parte desse projeto: Fernando e Matheus, idealizadores, e Margarida, Vanessa e Paulo, professores do nosso sistema de correção de redações. A todos, desejo realizações, sucesso e coragem para seguirmos nessa profissão que, infelizmente, não é devidamente valorizada tanto pelo Estado quanto pela sociedade.

Nesta reta final para o Enem 2015, é importante salientar a importância da proposta de intervenção social, pois muitos candidatos não conseguem alcançar a nota máxima nessa competência que é, por sua vez, a quinta competência da grade de correção da redação do Enem e uma das principais características da prova de produção textual desse exame. Como os temas da proposta de redação do Enem, até hoje, sempre foram de cunho social situado no contexto brasileiro, a banca elaboradora busca um autor crítico e que pensa em melhorias e em soluções.

Infelizmente, não é pequeno o número de candidatos que não escrevem ou não desenvolvem adequadamente a proposta de intervenção social na redação do Enem; são inúmeros os casos em que até há uma proposta de solução, mas esta não é explicada detalhadamente. Nesse contexto, é fundamental ressaltar que os candidatos ao Enem devem preocupar-se com a questão prática da proposta de intervenção social e, assim, explicar, com o maior detalhamento possível, como a referida solução funcionaria na prática.

Gramática

Além de haver a proposta de intervenção social, esta deve estar em conformidade com os direitos humanos, respeitando-os, e deve também estar relacionada com o tema e articulada à discussão desenvolvida no texto. Nesta competência, portanto, a nota máxima, 200 (duzentos) pontos visa uma proposta de intervenção muito bem elaborada e detalhada, relacionada ao tema da proposta de redação e articulada ao debate desenvolvido na dissertação-argumentativa.

Deste modo, ao pensar na tese que será defendida e nos argumentos e estratégias argumentativas que a embasarão, é preciso refletir também se a proposta de intervenção estará em consonância com toda a linha argumentativa. Uma orientação é trabalhar, primeiramente, na proposta de intervenção social e, de acordo com ela, elaborar o ponto de vista e os argumentos principal e secundários, nunca se esquecendo da parte prática da proposta de solução, já que esta deve ser verossímil, ou seja, possível de ser realizada, plausível.

Caso a proposta de intervenção social esteja explicitada, relacionada ao tema e articulada com o restante da redação, mas não esteja detalhada, o cumprimento dessa competência será considerado “bom”; há, ainda, os níveis “mediano” , “insuficiente” (no qual não há articulação entre a proposta de solução e o restante do texto), “vago” e o 0 (zero), ou seja, quando não há nenhuma proposta de intervenção social.

Bons estudos nessa etapa final!

 


*CAMILA DALLA POZZA PEREIRA é graduada e mestranda em Letras/Português pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Atualmente trabalha na área da Educação exercendo funções relacionadas ao ensino de Língua Portuguesa, Literatura e Redação. Foi corretora de redação em importantes universidades públicas. Além disso, também participou de avaliações e produções de vários materiais didáticos, inclusive prestando serviço ao Ministério da Educação (MEC).

 **Camila é colunista semanal sobre redação do nosso portal. Seus textos são publicados todas as quintas! Também é uma das professoras do Programa de Correção de Redação do infoEnem.

Compartilhar
Manual do Sisu e Prouni

Receba GRATUITAMENTE o Manual para Sisu e ProUni




Sim Não




Outros artigos que você vai gostar:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *