Possibilidades para a Redação do Enem 2001

No primeiro ano do terceiro milênio, a preocupação retomada pelo tema da redação do Enem era algo que infelizmente mantém-se atual: o meio ambiente. Relembremos a proposta?

Creio que dê pra dizer que não aprendemos muito dezoito anos depois, não é mesmo? =(

Levando em conta que dificilmente os temas se repetem no Enem ou sequer são próximos (afinal, foram apenas vinte edições – e consequentemente apenas vinte temas), a destruição do meio ambiente é algo que muito provavelmente não será tratado de forma mais genérica nas próximas propostas. No entanto, considerando as motivações que já compartilhei com vocês para que iniciássemos a série de análises dos temas antigos, o treino e a mera possibilidade de nos informarmos melhor acerca do meio ambiente já valem muito. Há inclusive a chance, mesmo que menor do que a de temas inéditos, de algum tópico mais específico surgir em relação à proteção ambiental, então estar mínima e basicamente por dentro do assunto é uma ótima nesse sentido também!

O título, “Desenvolvimento e preservação ambiental: como conciliar os interesse em conflito?“, está em consonância bastante grande com os textos motivadores, que retomam justamente a ideia de progresso a qualquer preço, seja ele tecnológico, econômico ou estrutural, às custas do meio ambiente, de sua exploração perigosa e sem escrúpulos. Primeiramente, assim como no tema da semana passada (veja o da redação do Enem 2000), é necessário atestar que isso é um problema, já que dificilmente beberemos e respiraremos dinheiro ou gadgets no futuro, caso não cuidemos corretamente de nosso planeta. O próprio título já cobra uma sugestão de solução do candidato através da pergunta “como conciliar os interesses em conflito?“, estabelecendo sem muita margem para contestação que a destruição indiscriminada do meio ambiente em prol do progresso é algo definitivamente negativo.

Como forma de incluir conteúdos adicionais, além dos textos motivadores, para embasar e comprovar a argumentação em uma proposta como essa, uma boa ideia seria conhecer índices de desmatamento, de poluição do ar e de fontes de água potável, bem como de lixo encontrado nos oceanos (sabiam que existem até “ilhas” de lixo flutuando pelos mares?). Outro ótimo embasamento a se conhecer (para a vida, inclusive!) é o conjunto de leis ambientais do país. Como temos uma biodiversidade gigantesca, maior do que grande parte dos outros países do mundo e em alguns casos até exclusiva, nada mais justo do que termos uma legislação ambiental bastante moderna e avançada. Porééééééém, ao voltarmos para os índices mencionados no início do parágrafo, é possível perceber que ela não está sendo cumprida com eficácia (remete a alguma semelhança com o que acontece em relação ao tema da semana anterior?). Os mesmos índices e leis podem ser buscados a nível mundial, já que nem o título nem os textos motivadores estabelecem uma exclusividade de menção ao tópico no Brasil (há até mesmo uma fala de um presidente americano e índices de poluição de países do hemisfério norte), mas resolvi me manter no âmbito nacional para que possamos ter mais proximidade e consequentemente facilidade em buscar e utilizar os dados (se esse tema caísse hoje, estaríamos muito provavelmente todos munidos de informações extras aos textos motivadores, já que a Amazônia tem sido assunto recorrente ao ligarmos a TV em qualquer canal, por exemplo.

Para encerrar, a clássica proposta de intervenção se faz necessária. Aqui, o próprio título incita uma organização específica: novamente, através do trecho “como conciliar os interesses em conflito?“, indica-se que o progresso não é indesejado, mas sim que ele deve existir em harmonia com a preservação do meio ambiente. Aqui há várias possíveis frentes de atuação para as sugestões: pode-se tratar de reformas ou intensificações nas leis ambientais já existentes, de maior rigidez na fiscalização e até mesmo de medidas educacionais, que terão como consequência uma colaboração social conjunta na questão. Ao selecionar a proposta mais interessante para a argumentação desenvolvida anteriormente, resta detalhá-la como uma das possíveis formas de conclusão do texto.

O que acharam do tema do ano 2000? Continua bastante atual, infelizmente, não? Contem pra gente nos comentários se já trataram desta proposta em alguma redação, se pretendem usá-la para treinar para o Enem desse ano e quais seriam as melhores propostas na opinião de vocês (afinal, soluções para o meio ambiente são sempre bem-vindas)! Até a próxima semana!

Compartilhar
Manual do Sisu e Prouni

Receba GRATUITAMENTE o Manual para Sisu e ProUni




Sim Não




Outros artigos que você vai gostar:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *