Estudando Sobre a Rotação de Culturas

Em nossa postagem de hoje vamos tratar sobre a geografia, e vamos falar sobre uma técnica muito importante, e que a cada dia ganha mais espaço no setor agrícola, tanto o nacional como o mundial! Vamos falar sobre a rotação de culturas, explicando sobre o que é esta técnica, como funciona a sua utilização e quais os seus principais benefícios.

Quando falamos sobre os diferentes tipos de agriculturas existentes (relembre a postagem aqui!), vimos que a rotação de culturas é uma prática comumente utilizada na agricultura intensiva. Como já estudamos, a agricultura intensiva é o setor da agricultura que possui a maior quantidade de investimentos em tecnologia e a rotação de culturas surge como um dos resultados destes investimentos. Vamos agora então estudar o que é a rotação de culturas.

O que é a rotação de culturas?

A rotação de culturas pode ser definida como uma técnica em que se realiza uma alternância entre o cultivo de diversos tipos de vegetais em um determinado período de tempo e em um mesmo local. Essa alternância entre o cultivo dos vegetais deve ser planejada de maneira adequada, aliando o lucro obtido em função de um vegetal principal (que recebe o nome de cabeça da rotação), e também a conservação do solo.

Quais os benefícios da utilização desta técnica?

Existem uma série de benefícios em se utilizar a rotação de culturas, e vamos falar a seguir sobre alguns destes fatores benéficos. O primeiro deles e principal é a conservação do solo. Ao se utilizar vários tipos de vegetais em um determinado período de tempo, evita-se que um determinado recurso do solo seja extraído, o que acarretaria em prejuízos severos para as plantações seguintes. Ao se utilizar a rotação de culturas, enquanto outro tipo de vegetação está utilizando outros recursos, o solo pode se recuperar da plantação anterior, permanecendo sempre equilibrado.

Além disso, também foi percebido que todas as plantações acabam deixando uma forma de “herança” sobre os solos, ou seja, uma série de matérias orgânicas e recursos minerais que podem ser benéficos para a plantação de outros vegetais. Deste modo, os recursos de um vegetal que ficaram no solo podem servir como adubo para a próxima plantação, tornando a rotação de culturas ainda mais benéfica.

Ainda falando dos benefícios desta técnica, ao se utilizar de diversos cultivos ao longo de um período de tempo, é diminuído o risco de infestações por pragas. Por exemplo, ao se plantar o trigo, podem existir algumas pragas que atacam a plantação e trazem prejuízos. Após a colheita do trigo, outro vegetal será plantado (a soja, por exemplo), e este vegetal não será afetado pela praga que costuma atacar o trigo, assim como não sobreviverá até a próxima plantação de trigo!

Além disso ainda temos outro fator econômico importante, que é a oferta de produtos diferentes no mercado nacional. Percebemos então que a rotação de culturas é uma técnica muito importante utilizada atualmente, e que apresenta benefícios econômicos quanto a produção e também quanto a conservação do solo. Portanto, exploramos mais uma técnica atual que costuma ser muito cobrada nas provas do Enem, uma vez que apresenta uma importância grande para as questões de geografia!

Compartilhar
Manual do Sisu e Prouni

Receba GRATUITAMENTE o Manual para Sisu e ProUni




Sim Não




Outros artigos que você vai gostar:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *