Caçar ou cassar os políticos? Falando sobre palavras homônimas

Mamãe, não quero ser prefeito
Pode ser que eu seja eleito
E alguém pode querer me assassinar(…)
(https://www.vagalume.com.br/raul-seixas/cowboy-fora-da-lei.html )

Em época de campanhas eleitorais, ouvindo discursos demagógicos, vendo candidatos sem preparo ou que não encaram com a devida seriedade o processo democrático, temos mesmo vontade de caçar esses indivíduos, como temia Raulzito, na música “Cowboy fora da lei” (embora eu o considerasse bem capacitado, muito inteligente). Mas… a civilidade não nos permite caçar pessoas. Resta-nos então não os eleger, para não termos que cassar os maus políticos, depois que eles ocuparem os cargos públicos.

Caçar e cassar… que parentesco têm esses dois verbos?

Eles são o que a Gramática chama de palavras homônimas, cujo prefixo (homo-), de origem grega, significa igual, semelhante. A palavras homônimas dividem-se em três categorias, conforme a semelhança que apresentam. Assim, temos:

  • Heterófonas e homógrafas;
  • Homófonas e heterógrafas;
  • Homógrafas e homófonas (homônimos perfeitos).

O outro sufixo que aparece nessa classificação, hétero-, significa diferente.

O segundo elemento de cada uma dessas palavras completa a definição: –grafas, também do grego, significa escrita; –fonas, igualmente do grego, significa som: –nimos, da mesma origem, significa nome.

Assim, sabendo o significado dos elementos formantes das palavras, chegamos ao seu conceito atual:

  • As palavras homógrafas e heterófonas são as que se escrevem da mesma maneira, mas têm pronúncia e significado diferentes, como gosto (substantivo) e gosto (verbo).
    Ex: O gosto deste suco é estranho. Eu gosto de estudar Física.
  • As  heterógrafas e homófonas têm a mesma pronúncia, mas escrevem-se de modo diferente, e o seu significado é também diferente. É o caso de dos verbos do título deste texto: caçar (abater) e cassar (suspender o mandato).
  • As homônimas perfeitas têm a mesma forma e o mesmo som, mas significados diferentes: rio (verbo rir) e rio (curso de água), canto (esquina, ponta) e canto (verbo cantar).

Temos vários compositores que brincaram com essas possibilidades do idioma, produzindo versos criativos, como fez a Rita Lee, na música Flagra, que foi mote para questões do vestibular da UFRJ:

(…) Se a Deborah Kerr que o Gregory Peck
Não vou bancar o santinho
Minha garota é Mae West
Eu sou o Sheik Valentino(…)
(https://www.vagalume.com.br/rita-lee/flagra.html)

A questão pedia que o candidato explicasse o efeito criativo e cômico da escolha dos nomes dos atores, valendo-se de elementos fônicos, morfossintáticos e semânticos nos versos acima.

É isso: ouça boas músicas para relaxar entre os períodos de estudo, amplie sua bagagem cultural e com sorte, seu repertório musical pode aparecer nas questões!

Até a próxima semana!

 


Margarida Moraes é formada em Letras pela Universidade de São Paulo (USP). Com mais de 20 anos de experiência, corretora do nosso Curso de Redação Online (CLIQUE AQUI para saber mais) e responsável pela resolução das apostila de Linguagens e Códigos do infoEnem, a professora é colunista de gramática do nosso portal. Seus textos são publicados todos os domingos. Não perca!

Compartilhar
Manual do Sisu e Prouni

Receba GRATUITAMENTE o Manual para Sisu e ProUni




Sim Não




Outros artigos que você vai gostar:




2 Comentários

luiz carlos santiago

Excelente trabalho, muito esclarecedor !

Responder

Fátima Regina dos Santos

Muito bom mesmo …poderia enviar para o meu e-mail seria ótimo obrigadooo.

Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *