Biologia no Enem: Entendendo as Protozooses

Nos textos anteriores, vimos um pouco a respeito dos protozoários e salientamos sua inter-relação com o assunto das protozooses. Portanto, se você não conhece um pouco sobre esses organismos, recomendamos que veja o nosso artigo relacionado ao tema.

As protozooses são as doenças causadas por protozoários quando estes entram em contato com o ser humano, desencadeando as mais diversas implicações no indivíduo enfermo. Em termos de Enem e outros processos seletivos, as protozooses mais comumente abordadas são: Amebíase, Doença de Chagas e Malária.

Antes, contudo, de entrarmos no conteúdo propriamente dito, é importante destacar e deixar claro alguns conceitos importantes no estudo de doenças dentro da biologia.

Agente etiológico

É o ente causador da doença, ou seja, é aquele que parasita estruturas específicas de outros organismos. O parasita pode ter um único hospedeiro (monoxênico) ou mais hospedeiros de espécies diferentes (heteroxênico).

Vetor

É o ser vivo que carrega consigo o agente etiológico em questão e, a partir do contato, contamina outro ser vivo. Normalmente os vetores são insetos como os mosquitos.

Hospedeiro Definitivo

É aquele o qual detém o parasita em sua forma madura ou com reprodução sexuada.

Hospedeiro Intermediário

O hospedeiro intermediário possui o parasita em sua forma imatura ou com reprodução assexuada.

Profilaxia

São as medidas necessárias para prevenir a doença. Dentro dessas medidas, incluem-se os processos de eliminação dos parasitas na população.

Amebíase

Também conhecida como disenteria amebiana, essa doença é causada por um protozoário rizópode. Tal agente etiológico é a Entamoeba histolytica, parasita monoxênico (seu único hospedeiro é o ser humano). Apresenta duas formas: trofozoíto e cisto.

Trofozoíto é a forma ativa, ou seja, apresenta alta atividade metabólica e se reproduz. Cisto é uma forma de resistência, com camadas protetoras e estado de vida latente (baixa atividade metabólica).

Transmissão: o ser humano contrai a doença ao ingerir os cistos do protozoário em questão. Esses cistos estão presentes na água e nos alimentos em geral e são, normalmente, disseminados por meio de moscas e baratas (que são, neste caso, vetores). Pessoas com parca higiene pessoal e que já possuem a moléstia também podem disseminar o parasita quando não lavam as mãos adequadamente após ir ao banheiro, por exemplo.

Ciclo: Após a ingestão dos cistos, estes migram para o intestino grosso do indivíduo contaminado e lá crescem e realizam suas atividades, desde nutrição até reprodução. Alguns dos parasitas podem também se espalhar para outras partes do organismo por meio da circulação sanguínea. Na cavidade intestinal, os adultos geram novos cistos que são eliminados junto às fezes.

Imagem representativa do ciclo da amebíase:

amebiase_ciclo

Profilaxia

As principais medidas profiláticas contam com o tratamento do doente, medidas de saneamento básico, higiene pessoal e higienização correta dos alimentos.

Nos próximos artigos, trataremos da Doença de Chagas e da Malária. Continue conosco!

Compartilhar
Manual do Sisu e Prouni

Receba GRATUITAMENTE o Manual para Sisu e ProUni




Sim Não




Outros artigos que você vai gostar:




2 Comentários

Samuel Alencar

O exame parasitológico de fezes não pode ser descartado.

Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *