Temas Redação Enem 2016 – Envelhecimento Populacional

A população brasileira está passando por um acelerado envelhecimento populacional devido à significativa redução da taxa de fecundidade desde a década de 1960 e ao aumento da expectativa de vida dos brasileiros.

Nos anos 60, a média de filhos por mulher era de 6,28; em 2010, esta média caiu para 1,90 filhos, ou seja, houve uma diminuição em cerca de 70%. Em contrapartida, no mesmo período, a longevidade da população brasileira aumentou 25 anos, chegando a 73,4 anos em 2010 segundo dados do IBGE.

Estima-se que, em 2050, o percentual de pessoas com mais de 60 anos corresponderá a cerca de 30% da população do Brasil, o que modificará o perfil da sociedade brasileira em termos de saúde, demografia, trabalho, estudo e renda. Em termos de ENEM, portanto, o envelhecimento populacional e suas consequências sociais pode ser um tema da proposta de redação da prova de 2016.

Uma população mais velha exigirá do governo políticas públicas que promovam a autonomia, a independência e a saúde deste grupo de pessoas. O aumento da longevidade não deixa de ser uma conquista nacional, já que isso significa que as condições e a qualidade de vida do brasileiro melhoraram, mas isso também demanda investimentos em áreas específicas, como a saúde e a previdência social, por exemplo.

Outra questão importante é o que economistas e administradores chamam de “bônus demográfico” ou “janela de oportunidades”. Ambos conceitos se referem às oportunidades que surgem para um país quando o número de pessoas economicamente ativas, ou seja, em idade de trabalhar (dos 15 aos 64 anos), é maior do que a parcela da população dependente – menores de idade e idosos.

Em 2013, cada grupo de cem pessoas em idade ativa sustentava 46 pessoas dependentes e, segundo o IBGE, até 2022 esse número sofrerá uma queda, indicando uma grande quantidade de pessoas economicamente ativas. Porém, a previsão para 2060 é de que cada grupo de cem indivíduos em idade ativa sustentará 65,9% de indivíduos dependentes.

Medidas para tentar salvar a previdência social no Brasil da falência já estão sendo tomadas e sabemos que são medidas nada populares, como o fator previdenciário e o aumento do tempo de contribuição ao INSS e de trabalho, para homens e mulheres, para atingir o teto das aposentadorias.

E em termos de saúde, o que o governo tem feito? E em termos de educação, lazer e cultura para a população idosa? O Estatuto do Idoso é respeitado no nosso país? O que você pensa sobre isso?

Até a próxima semana!

 
Quer escrever redações sobre temas e propostas atuais como a desta matéria e receber correções completas no mesmo modelo do Enem? CLIQUE AQUI E CADASTRE-SE EM NOSSO CURSO ONLINE DE REDAÇÃO!

 


*CAMILA DALLA POZZA PEREIRA é graduada e mestranda em Letras/Português pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Atualmente trabalha na área da Educação exercendo funções relacionadas ao ensino de Língua Portuguesa, Literatura e Redação. Foi corretora de redação em importantes universidades públicas. Além disso, também participou de avaliações e produções de vários materiais didáticos, inclusive prestando serviço ao Ministério da Educação (MEC).

 
**Camila é colunista semanal sobre redação do nosso portal. Seus textos são publicados todas as quintas!

Compartilhar
Manual do Sisu e Prouni

Receba GRATUITAMENTE o Manual para Sisu e ProUni




Sim Não




Outros artigos que você vai gostar:




4 Comentários

Marieta Silveira Vieira

Moderação em que?

Responder

Marieta Silveira Vieira

É com prazer que deixo minha resposta . Afirmo que a pesquisa deixa muito a desejar pois não inclui a queles que não vive o suficiente para usar o dinheiro de uma aposentadoria , são muitos e nas pesquisas não são contabilizados. Nossos governantes caminhão em direção oposta as necessidades do povo com todo seu egoismo visando apenas seu bem estar . Por isso essas pesquisas são menos verdadeiras .

Responder

Minha senhora vá estudar

> Realmente os governantes só andam de caminhão

Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *