Siglas e Processo de Formação de Palavras

Bem, como dizem por aí: uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa… No caso do questionamento do título, plagiando os físicos, depende do referencial adotado.

Analisemos a partir do primeiro referencial: de modo geral, damos o nome de sigla ao conjunto de letras iniciais dos termos que compõem o nome de uma empresa, uma instituição, um programa…

Siglas e formação de palavras

Foi o mecanismo que Nando Reis empregou para nomear esta canção:

“Tava com um cara que carimba postais
Que por descuido abriu uma carta que voltou
Tomou um susto que lhe abriu a boca
Esse recado vem pra mim não pro senhor.

Recebo crack, colante, dinheiro parco embrulhado
Em papel carbono e barbante, e até cabelo cortado
Retrato de 3 x 4 pra batizado distante
Mas isso aqui, meu senhor, é uma carta de amor (…)”
(https://www.vagalume.com.br/nando-reis/ect.html )

O “cara que carimba postais” trabalha numa empresa que dá nome à música: ECT – Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos.

No nosso dia a dia, as siglas têm presença constante e nos textos são um mecanismo que otimiza o espaço (jornais, por exemplo, precisam enxugar seus textos, tanto na busca por objetividade e concisão, quanto pela economia de espaço físico mesmo).

Passemos agora à observação a partir do segundo referencial: quando as siglas são formadas por mais letras e combinadas de tal forma que formam sílabas e podem se lidas como uma palavra. A Morfologia é a parte da Gramática que estuda a estrutura e a formação das palavras e a sigla, deste ponto de vista, é entendida como um dos processos de criação de palavras em português, ao lado da composição, da derivação e de outros processos (relembre aqui alguns processos)

Assim, daquela sigla que mencionamos no início do texto, que é o simples registro das letras iniciais de um nome de instituição, empresa etc, passamos à criação de palavras novas, pela junção dessas letras. E qual a diferença entre os dois casos?

Sempre serão siglas, mas, se na leitura, falarmos o nome de cada letra separadamente – como o título da música do Nando Reis, que é a nossa empresa de envio e distribuição de cartas e encomendas – ECT (ê cê tê), teremos apenas uma sigla. Agora, se a sequência de letras possibilitar a formação de sílabas, teremos uma palavra criada pelo processo de formação chamado Siglonimização, processo esse que pode dar origem a derivados:

  • USP– Universidade de São Paulo – é uma sigla que já consideramos substantivo próprio, do qual deriva o termo uspiano, dado ao aluno daquela instituição (como esta que lhes escreve) ou a qualquer elemento ligado àquela universidade.
  • Unicamp – Universidade de Campinas
  • Enem– Exame nacional do Ensino Médio
  • Fuvest– Fundação Universitária para o Vestibular

Voltando ao primeiro caso, há algumas regrinhas a serem observadas:

  • Deve-se empregar apenas siglas já existentes ou consagradas, de acordo com a convenção ou designação oficial (consulte um dicionário ou o site da organização em questão):
    Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos – ECT (e não EBCT)
  • Carteira nacional de Habilitação – CNH
  • Instituto Nacional de Seguridade Social – INSS
  • Fundo de Garantia por Tempo de Serviço – FGTS
  • Não são colocados pontos intermediários ou ponto final nas siglas:
    ANAC (Agência Nacional de aviação Civil) e não A.N.A.C.
  • Siglas com até três letras são grafadas com todas as letras maiúsculas:
    IML – Instituto Médico Legal
  • COI – Comitê Olímpico Internacional
  • Siglas com quatro letras ou mais devem ser grafadas com todas as letras maiúsculas quando cada uma de suas letras ou parte delas é pronunciada separadamente, ou somente com a inicial maiúscula, quando formam uma palavra pronunciável (formada por siglonimização):
    BNDES – Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social
  • Embraer – Empresa Brasileira de Aeronáutica
  • Petrobras – Petróleo Brasileiro S.A.
  • Mantêm-se com maiúsculas e minúsculas as siglas que originalmente foram criadas desse modo para se diferenciarem de outras:
    CNPq – Conselho Nacional de Pesquisa (para diferenciá-lo de CNP – Conselho Nacional do Petróleo).
  • Quando a sigla tiver origem estrangeira, deve-se adotar a sigla e seu nome em português quando houver forma traduzida, ou adotar a forma original quando esta não tiver correspondente em português, mesmo que a tradução não corresponda perfeitamente à sigla:
    FBI – Federal Bureau of Investigation (Escritório/Departamento Federal de Investigação – equivalente à nossa Polícia Federal)
  • FAO – Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura.
  • O pluraldas siglas é feito pelo acréscimo da letra s, sempre minúscula (e sem apóstrofo!!!), quando a concordância gramatical exigir:
    Os CDs foram sorteados entre os alunos.

É isso! Vou me despedir dos meus caros leitores desejando desde já sucesso nas provas vindouras, um ótimo Natal e um feliz Ano Novo! Farei um pequeno recesso e voltarei com novos textos a partir de janeiro.

Até 2019!


Margarida Moraes é formada em Letras pela Universidade de São Paulo (USP), instituição na qual também concluiu seu mestrado. Com mais de 20 anos de experiência e responsável pela resolução das Apostila de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias do infoEnem, a professora também é colunista de gramática do nosso Portal e umas das corretoras do curso de redação online (clique aqui para saber mais). Seus artigos são publicados semanalmente, sempre aos domingos. Não perca!

Compartilhar
Manual do Sisu e Prouni

Receba GRATUITAMENTE o Manual para Sisu e ProUni




Sim Não




Outros artigos que você vai gostar:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *