Regra de Três Composta – Revisão de Matemática

Vamos estudar a regra de três composta, nesta revisão de matemática para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). A regra de três composta é uma ferramenta muito interessante para a resolução de alguns exercícios, como demonstraremos adiante. Além disso, como você certamente já conhece a regra de três simples, entender como a composta funciona não será problema!

O primeiro passo é explicar o porquê da utilização da regra de três composta. Esta regra pode ser utilizada quando deseja-se realizar uma comparação proporcional, assim como ocorre na regra de três simples. No entanto, a regra de três composta é utilizada para situações que envolvem três ou mais grandezas, relacionadas simultaneamente.

Entendido isso, vamos agora comprender o que são as grandezas diretamente e inversamente proporcionais. As grandezas diretamente proporcionais são aquelas em que, a medida que se aumenta uma delas, a outra também aumentará. Tomemos como exemplo uma fábrica: Ao aumentar o número de horas trabalhadas, a quantidade de peças produzidas também irá aumentar.

Já com as grandezas inversamente proporcionais ocorre o contrário: Quando aumentamos uma das variáveis, a outra irá necessariamente diminuir. Considerando a mesma fábrica mencionada acima, se mantivermos o número de peças produzidas constante, e aumentarmos a quantidade de funcionários, o tempo necessário será menor. Assim concluímos que o tempo e a quantidade de funcionários são grandezas inversamente proporcionais. Estes dois conceitos serão fundamentais para a explicação da regra de três composta.

Para garantir um melhor entendimento, vamos explicar a regra de três composta através de dois exemplos. O primeiro diz o seguinte:

Se 6 operários trabalhando 14 dias produzem 100 peças, 7 operários trabalhando 18 dias produzirão quantas peças?

Para resolver estes problemas, começaremos sempre criando uma tabela, com as variáveis:

Devemos agora analisar cada grandeza em relação a variável a ser calculada. Se aumentarmos o número de empregados, então o número de peças também irá aumentar, sendo diretamente proporcionais. Então a primeira grandeza resultará numa fração, entre o primeiro e o segundo caso, ou seja:

Devemos agora multiplicar pela segunda grandeza. Aumentando o número de dias trabalhados, também aumentará o número de peças produzidas, assim a fração resultante será igual a:

E esta multiplicação será igual a fração da grandeza a ser calculada, que sempre ficará do mesmo modo. Assim:

Resolvendo para o valor de x:

Então concluímos que 7 operários trabalhando 18 dias produzirão 150 peças!

Vamos considerar mais um exemplo:

Se 400 peças são produzidas trabalhando 5 horas por dia durante 8 dias, quantos dias serão necessários para produzir 300 peças, trabalhando 3 horas por dia?

Vamos novamente criar uma tabela com as variáveis:

Fazendo a comparação, aumentando o número de peças irá aumentar a quantidade de dias necessários, então:

Agora analisando as horas por dia, percebemos que quanto mais horas por dia são trabalhadas, menor é a quantidade de dias necessária. Assim, são grandezas inversamente proporcionais e devemos inverter a fração, como mostrado a seguir:

Assim, a igualdade será:

Resolvendo para x:

Portanto, são necessários 10 dias trabalhando 3 horas por dia para a produção de 600 peças!

Com isso, aprendemos as variações de mais uma ferramenta matemática importante, que certamente te auxiliará na resolução de problemas com grande quantidade de variáveis! Até breve!

Compartilhar
Manual do Sisu e Prouni

Receba GRATUITAMENTE o Manual para Sisu e ProUni




Sim Não




Outros artigos que você vai gostar:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *