Redação Nota 1000: Possibilidades Para a Redação do Enem 2016 – segunda aplicação

Como comentamos na semana passada, no ano de 2016 houve uma série de protestos contra a reforma do Ensino Médio que incluíram a ocupação de prédios onde o Enem seria realizado. Para manter o direito de manifestação da população e não prejudicar os candidatos que fariam a prova nos locais ocupados, houve uma segunda aplicação da prova, que trouxe o seguinte tema de redação:

: https://www.slideshare.net/EnemTeConto/prova-enem-2016-caderno-amarelo-segundo-diasegunda-aplicao

Os textos motivadores da redação da segunda aplicação de 2016 trazem todas as tecnicalidades necessárias para que se entenda minimamente a origem do racismo, as leis que garantem que ele não se propague e porque ações que garantam uma igualdade entre as etnias são necessárias e importantes.

A partir deles, já fica bastante complicado negar a existência do racismo no território nacional. Caso isso seja feito, as chances de ser bastante prejudicado na nota são grandes. Afinal, como o tema da redação do Enem normalmente traz uma problemática a ser resolvida, não faria sentido negar a existência dela e pautar sua argumentação na direção contrária da dos textos motivadores, que trazem fontes especialistas e inclusive da lei.

 Para incluir conteúdo externo neste assunto, há muitas opções, já que a desigualdade racial é bastante discutida em nosso país. As origens dela podem ser estabelecidas por uma contextualização histórica um pouco mais detalhada do que a feita no primeiro excerto motivador. Juntamente a essa contextualização, índices do crime de racismo, bem como menções a casos específicos noticiados pela mídia podem contribuir para embasar a argumentação. No futebol há casos bastante famosos que ocorrem com frequência, infelizmente, e que podem servir de ilustração da falta completa de sentido que é o racismo no desenvolvimento da produção de texto.

Desenvolvimento da Redação

Como sempre, depois de analisar bem os textos motivadores e reunir as informações extras para escrever, é hora de começar a redação. O desenvolvimento desta pauta em particular muito provavelmente é algo familiar para a maior parte dos candidatos, tanto por parte da população negra, que compõe 51% da nossa população total, e tem lugar de fala na questão do preconceito, quanto para o restante dos candidatos, que ao longo da vida já devem ter ouvido falar dela ou até mesmo feito parte de debates.

Mais uma vez, negar a existência do racismo não colaboraria para a produção, já que se trataria de uma falácia completa, prejudicando bastante a nota. A partir disto, é organizar a argumentação entre exemplos, contextualização histórica e quais os males que o racismo traz à sociedade, para chegar à sugestão de solução, demonstrando sua necessidade.

Proposta de Intervenção

Na proposta de intervenção, há muitas opções viáveis a serem colocadas. A mais importante delas talvez esteja pautada na educação, já que, a longo prazo, estabelecer a falta de sentido no preconceito étnico (assim como em vários outros) pode formar uma geração que já não veja mais nenhuma explicação neste tipo de manifestação arraigada em nossa cultura. As leis também podem fazer parte de uma solução, mas por já serem existentes nesse âmbito, pode-se sugerir o aumento da fiscalização e/ou a intensificação das penas. É só, como sempre, detalhar bem cada proposta.

O que acharam do tema da redação da segunda aplicação de 2016? O que sugeririam pra eliminar essa mazela social? Contem tudo pra gente nos comentários e até semana que vem!

Acesse o portal InfoEnem e tenha acesso aos melhores conteúdos e informações sobre o Enem 2020!