Redação Nota 1000: Possibilidades para a Redação do Enem 2015

Em nossa série de análises dos temas da redação do Enem, chegamos ao ano de 2015, cujo assunto foi bastante discutido até mesmo fora do âmbito da prova e, de certa forma, tornou-se um marco na escolha dos tópicos para a produção de texto ao tratar de algo tão urgente e obscuro, incrustado na cultura brasileira. Relembremos:

Fonte: https://www.acrobatadasletras.com.br/2016/05/exemplos-de-redacao-nota-1000-no-enem.html

De início, diferentemente de alguns outros anos, nos quais as propostas de redação continham excertos com as mais variadas opiniões em relação ao tópico tratado, temos vários textos motivadores que trazem nada mais que os números relacionados à violência contra a mulher na sociedade brasileira, o impacto causado nestes mesmos números pela lei Maria da Penha, bem como um exemplo de cartaz relacionado à campanha de combate a essa violência.

Isso poderia facilitar as coisas para quem estava bem preparado, já que a argumentação a ser desenvolvida estaria mais “livre”, exigindo apenas uma menção ao fato de que os números expostos eram (e continuam) alarmantes.

No entanto, para os alunos que baseavam-se somente numa paráfrase dos textos motivadores (o que já mencionamos nesta coluna não ser uma boa ideia) para construir sua argumentação, teriam que aprender “na marra” a transformar todos aqueles números e índices em uma redação. Por isso, nessa altura inicial de nossa análise já temos uma lição: o treino e a preparação para argumentar e defender ideias (não só na redação do Enem como na vida) devem estar afiados, sempre.

Em seguida, selecionar conteúdos externos para esse assunto pode parecer um pouco mais complicado, pelo simples fato dos textos motivadores já estarem fornecendo os mais variados índices relacionados ao tópico. Porém, a contextualização histórica do machismo e de como essa cultura é bastante difundida e reforçada em nosso país pode ser uma ótima opção para embasar a argumentação do porquê a violência ocorre. Além disso, relatos específicos de violência contra a mulher e/ou de feminicídios vindos de fontes idôneas de notícias também podem acrescentar ao texto.

Desenvolvimento da Argumentação

Depois de reunir todos estes dados, no desenvolvimento da argumentação o trabalho é “simples”: usar os índices já fornecidos pelos textos motivadores e o conteúdo extra estabelecido pelo aluno como pertinente para o tema para comprovar a violência contra a mulher em nosso país em seus altos números. As motivações para tal violência podem ser embasadas com a contextualização histórica que já selecionamos anteriormente.

Após explicitar as possíveis motivações e os índices, é interessante estabelecer o quanto a violência é injustificada e tem raízes em crenças de dominância e superioridade que não fazem nem nunca fizeram nenhum sentido, mesmo que isso possa parecer óbvio. Esse estabelecimento de obviedades vai colaborar para que o autor da redação possa ligar com tranquilidade seu desenvolvimento à proposta de soluções.

 Na proposta de intervenção, é importantíssimo pensarmos nos Direitos Humanos. Para não zerar a competência, não é possível sugerir nada que envolva justiça com as próprias mãos contra os agressores, nenhum tipo de violência física contra eles como “compensação” e nenhum tipo de tortura ou castração (química ou física), por exemplo. É necessário ter calma e um senso de justiça oficial para tratar da solução que será sugerida.

Leis mais rígidas, com penas mais altas e fiscalização mais intensa podem ser uma opção, além de um aumento no número de delegacias especializadas nestes casos. Medidas educacionais também podem ser um combate bastante interessante ao machismo e à violência direcionada ao gênero feminino. Basta, como sempre, escolher a sugestão que considerar a mais eficiente e detalhá-la bem!

O que acharam deste tema? Foi um dos mais discutidos ao ser anunciado após a realização da prova, então adoraríamos saber a opinião de vocês! Quais soluções sugeririam e considerariam eficientes? Contem tudo pra gente nos comentários e até semana que vem!

Acesse o portal InfoEnem e tenha acesso aos melhores conteúdos e informações sobre o Enem 2020!