Redação no Enem: Cuidados com a 2ª Competência

“Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas do conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo em prosa”.

Esse é o descritor da segunda competência que avalia as redações escritas pelos candidatos ao ENEM, um longo descritor, diga-se de passagem, que pode ser dividido em três partes:

  1. compreender a proposta de redação
  2. aplicar conceitos das várias áreas do conhecimento para desenvolver o tema
  3. dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo em prosa

A primeira parte, “compreender a proposta de redação”, diz respeito ao fato de toda a prova de redação ser uma prova de leitura e escrita e não só de escrita, já que o candidato deve entender o tema e seu comando e o recorte temático proposto pela coletânea de textos motivadores. Trata-se do primeiro passo para escrever um texto autônomo e autoral.

A segunda parte, por sua vez, trata-se da aplicação de conceitos de várias áreas do conhecimento a fim de desenvolver o tema, isto é, o candidato deve relacionar o tema com áreas como sociologia, história, biologia, filosofia, literatura, economia, política etc, mas desde que essa relação seja plausível.

Não adianta relacionar o tema a uma determinada área de conhecimento ou a um determinado autor apenas para cumprir com parte da segunda competência se essa relação não for pertinente e possível. Além disso, o candidato ao ENEM, neste momento, deve fugir dos clichês e dos sensos comuns, já que muitos, apenas para pontuar nesse descritor, acabam “apelando” para o capitalismo, globalização, mídia, propaganda dentre outros “conhecidos vilões” para qualquer tema.

Há candidatos que se apegam tanto a uma determinada área de conhecimento ou a determinada citação de um autor específico que recorre a isso em todas as propostas de redação, independentemente do tema, dando a ideia de que deseja “forçar” uma teia de relações. Citações como a de Milton Santos – “a globalização está se impondo como uma fábrica de perversidades” – circula em inúmeras dissertações-argumentativas mesmo que o tema não tenha nada ou muito a ver com globalização.

Já a terceira e última parte da segunda competência diz respeito à obediência e ao cumprimento do tipo textual dissertativo-argumentativo, sobre o qual já escrevemos vários textos.

A publicação de hoje teve como objetivo alertar os candidatos ao ENEM para o detalhe da segunda parte do descritor da segunda competência avaliativa da redação.

Até mais!

 


*CAMILA DALLA POZZA PEREIRA é graduada e mestranda em Letras/Português pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Atualmente trabalha na área da Educação exercendo funções relacionadas ao ensino de Língua Portuguesa, Literatura e Redação. Foi corretora de redação em importantes universidades públicas. Além disso, também participou de avaliações e produções de vários materiais didáticos, inclusive prestando serviço ao Ministério da Educação (MEC).

 **Camila é colunista semanal sobre redação do nosso portal. Seus textos são publicados todas as quintas! Também é uma das professoras do Programa de Correção de Redação do infoEnem.

Compartilhar
Manual do Sisu e Prouni

Receba GRATUITAMENTE o Manual para Sisu e ProUni




Sim Não




Outros artigos que você vai gostar:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *