Redação: Gênero Dissertativo Expositivo

Em nossa série “Gêneros Textuais“, continuamos tratando da dissertação, mas dessa vez da expositiva. Se já estão familiarizados com os tipos de textos pedidos pelos vestibulares, devem ter notado que ela não é tão popular quanto a argumentativa, mas ainda tem chances de ser pedida em concursos, provas e vestibulares (o da Unicamp, por exemplo, que varia os gêneros e as possibilidades ano a ano, pode ser um deles).

Definição

Novamente temos uma dissertação, um texto em prosa que trata de um tema específico. No entanto, a segunda parte do nome, expositiva, refere-se à produção que vai concentrar-se em expor fatos acerca de um tema e trazer aspectos relevantes em relação àquele tema.

Semelhanças em relação à dissertação argumentativa

  • A estrutura clássica introdução-desenvolvimento-conclusão se mantém (deem uma olhadinha também no artigo da semana passada, para conhecer a colega da expositiva, a argumentativa, e para verem com detalhes o que se encaixa em cada uma dessas etapas);
  • O leitor também deve ser considerado como sendo alguém leigo no assunto (mais uma vez, não se prendam ao fato de que corretores avaliarão seus textos, já que eles estão apenas checando se o texto foi bem feito, mas não são necessariamente o público alvo), que terá se informado de forma satisfatória ao terminar a leitura daquela dissertação expositiva;
  • Aqui a linguagem formal também é necessária, e a neutralidade ainda mais exigida, já que não haverá opiniões e posicionamentos do autor. Evitem a todo custo a primeira pessoa e desenvolvam a produção completamente na terceira;
  • Mesmo sem a opinião do autor embutida, a dissertação expositiva também exige que a sequência de informações seja feita de forma lógica (não faz sentido mencionar porcentagens altas relacionadas à violência e logo em seguida tentar minimizar a questão com comparativos e índices baixos de regiões mais seguras, por exemplo. Nesse caso, seria necessário um outro parágrafo com índices comprovando que em algumas regiões a violência não é tão alta e por isso os números puros nacionais poderiam ser assustadores mas não necessariamente mostrar uma realidade exata).

Diferenças em relação à dissertação argumentativa

  • Em uma dissertação expositiva, não haverá um posicionamento por parte do autor, uma tese a ser defendida. Não somos neutros em nenhum momento, já que nossas experiências de vida, convivências e personalidade definem nossa visão de mundo, então até mesmo uma simples lista de índices pode ser “tendenciosa”, já que a ordem e a escolha dos mais relevantes podem ser direcionadas por nossas visões e preferências, por exemplo. No entanto, é bom tomar o máximo de cuidado para não nos posicionarmos em uma dissertação expositiva e nos concentramos em fornecer índices, informações e fatos acerca do assunto, tratando de deixar o leitor a par do maior número possível de aspectos relacionados ao tema, sem inserir opiniões;
  • Em algumas dissertações argumentativas pode haver exigência de propostas de solução para a problemática em pauta (caso do Enem). Na dissertação expositiva isso não ocorrerá de forma alguma partindo do autor do texto. Poderá haver apenas a menção a soluções já existentes e seus efeitos e/ou propostas já feitas por outras pessoas (projetos de lei, por exemplo);
  • Ao deparar-se com temas que incitam mais debate, o autor deve concentrar-se apenas em expor as opiniões vigentes, sem pesar a “melhor” na opinião dele.

O que acharam da dissertação expositiva? Mais fácil ou mais difícil que a argumentativa? Já produziram alguma? Contem pra gente nos comentários e até semana que vem!

 


*Vanessa Christine Ramos Reck é graduada em Letras na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e fluente em mais três idiomas: Inglês, Espanhol e Francês. Além disso, é corretora do Curso Online do infoEnem. Seus artigos serão publicados todas as quintas, não perca.

Compartilhar
Manual do Sisu e Prouni

Receba GRATUITAMENTE o Manual para Sisu e ProUni




Sim Não




Outros artigos que você vai gostar:




3 Comentários

Maria Almaiza de Medeiros Leoncio

Gostaria de ver aqui nesta coluna explicação sobre como se esteira a carta aberta?

Responder

Samuel da Silva Alencar

Tema recorrente e providencial!

Responder

Vanessa

> Que bom que o tema foi útil para você, Samuel! Não hesite em deixar sugestões do que gostaria de ver na coluna! =D

Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *