Redação Enem 2018: Tendência de Possíveis Temas

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2018 está finalmente chegando! As provas serão realizadas nos dias 4 e 11 de novembro, sendo que a prova de redação será aplicada no primeiro dia do Exame.

Em relação a ela, sempre pairou uma imensa ansiedade acerca do tema da proposta de redação, não só do Enem, mas de todo vestibular que exige a produção de um texto escrito. Nesse sentido, como o Enem ganhou proporções gigantes – já que hoje é considerado o maior exame de entrada do país – a apreensão a respeito do tema da sua prova de redação é de abrangência nacional.

Sempre afirmamos que o participante que está bem preparado não precisa, na verdade, ficar tão preocupado e ansioso em relação ao tema da redação do Enem, pois é capaz de escrever uma dissertação-argumentativa adequada sobre um tema que não domina por ser um leitor proficiente e, por isso, conseguir extrair seu texto (tese, argumento principal, argumentos secundários, estratégias argumentativas e proposta de intervenção social) da proposta de redação que, aliás, nos mostra a dissertação-argumentativa pronta, recortada tematicamente falando; basta que o candidato a “decifre”.

Por outro lado, como escrevemos, ao longo do ano, textos que abordaram alguns temas possíveis e prováveis como temas da proposta de redação do Enem, resolvemos publicar um texto sobre o que imaginamos ser uma tendência para a prova de redação do Enem 2018: as minorias.

Norma culta e seu antigo debate

Desde a edição de 2015, quando a proposta foi “A persistência da violência contra a mulher na sociedade brasileira“, o Enem abordou grupos minoritários em suas propostas de redação. Em 2016, por exemplo, quando houve duas edições do exame, os temas foram os seguintes: “O combate à intolerância religiosa no Brasil” e “O combate ao racismo no Brasil“. E, em 2017, o tema abordou os deficientes auditivos em “A formação educacional dos surdos no Brasil“.

Resumindo: desde 2015, minorias estão no centro das propostas de redação do Enem. Mulheres, religiões não-cristãs, negros e deficientes auditivos foram os grupos escolhidos pela banca elaboradora e esta pode continuar a seguir esta tendência neste ano, já que as minorias sofrem muito no nosso país, infelizmente.

Além disso, trata-se de problemáticas que envolvem questões sociais, são atuais e que merecem propostas de intervenção social e, por isso mesmo, são dignas de serem abordadas em uma prova tão importante quanto a prova de redação do Enem.

Portanto, quando nos perguntam qual é o nosso palpite para o tema da redação do Enem 2018, respondemos que é seguir a tendência de colocar, como centro da questão, um grupo minoritário, inclusive que sofra desrespeito em relação aos Direitos Humanos, pois violência contra a mulher (de todos os tipos), intolerância religiosa, racismo e a não inclusão de deficientes auditivos nas escolas ferem os Direitos Humanos.

Até a próxima semana!

 


*CAMILA DALLA POZZA PEREIRA é graduada em Letras/Português e mestra em Linguística Aplicada pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Atualmente trabalha na área da Educação exercendo funções relacionadas ao ensino de Língua Portuguesa, Literatura e Redação. Foi corretora de redação em importantes universidades públicas e do Curso Online do infoEnem. Além disso, também participou de avaliações e produções de vários materiais didáticos, inclusive prestando serviço ao Ministério da Educação (MEC).

 
**Camila é colunista semanal sobre redação do nosso portal. Seus textos são publicados todas as quintas!

Compartilhar
Manual do Sisu e Prouni

Receba GRATUITAMENTE o Manual para Sisu e ProUni




Sim Não




Outros artigos que você vai gostar:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *