Redação do Enem: Gênero Dissertativo Argumentativo

Na semana passada, tratamos da definição do termo gênero textual em si (veja aqui). A partir de hoje, vamos dar uma olhadinha mais a fundo em cada um dos gêneros exigidos pelos vestibulares mais concorridos do país. O primeiro, como não poderia deixar de ser, é o dissertativo argumentativo, um dos tipos mais comumente exigidos nas provas, não só no Enem, mas também na Fuvest, na Unesp e tendo possibilidades de ser pedido também na Unicamp e na Ufscar (isso se considerarmos só as principais instituições do estado de São Paulo).

Por mais que o nome pareça um palavrão, a dissertação argumentativa na verdade não é tão complicada quanto parece. Na verdade, você já deve até ter feito algumas por aí, quando fez aqueles textões, seja em formato de post ou de comentário, defendendo seu ponto de vista no Facebook, lembra? A diferença é que, como se trata de um contexto formal, a redação do vestibular requer alguns cuidados mais específicos.

Definição

O nome do gênero esperado pela redação no Enem comporta dois conceitos: dissertação, que é o texto em prosa acerca de um tema específico (numa definição bastante rasa) e argumentativa, que é a especificação do tipo de dissertação esperada (já que há outros tipos, como a expositiva, por exemplo). A parte argumentativa do texto dá-se a partir do momento em que se tenta convencer o leitor de que a opinião exposta ali é a mais sensata e embasada. Isso deve ser feito com a ajuda dos argumentos (daí o nome do gênero textual) recolhidos, interpretados, organizados e relacionados pelo autor (aliás, essa lista de verbos te lembra alguma coisa? Talvez um artigo anterior sobre uma das competências consideradas na correção do Enem?).

Estrutura

A dissertação argumentativa comporta nosso trio clássico:

  1. Introdução: o tema e o ponto de vista do autor já são apresentados aqui, com índices relacionados, contextualização histórica ou até mesmo apresentação de questões sobre a problemática, por exemplo;
  2. Desenvolvimento: aqui é onde são listados os argumentos (prós, contra, pontos contrários refutados, etc.) recolhidos e relacionados por quem escreve o texto, para a defesa do ponto de vista sobre a temática;
  3. Conclusão: normalmente é um resumo mais global do ponto de vista do autor, sempre respeitando o que foi desenvolvido na argumentação, com suas ideias finais sobre o tema, apresentando o efeito de ações, caso se trate de um problema a ser solucionado, por exemplo. No entanto, no Enem, é onde espera-se (embora não obrigatoriamente) a apresentação da proposta de intervenção, também relacionada ao que foi apresentado ao longo da produção.

Cuidados especiais

Algumas exigências precisam ser levadas em conta ao produzirmos uma dissertação em contextos mais formais, como o vestibular:

  • Ao considerar o leitor, não se prenda ao corretor como sendo essa figura e ao que ele espera, e sim concentre-se em expor com eficiência seu ponto de vista e argumentos para que até mesmo alguém leigo no assunto se situe no que está falando apenas através de sua produção e consiga entender porque suas opiniões podem ser interessantes;
  • Evite a primeira pessoa, tanto no singular como no plural (essa segunda é aceita por alguns corretores e especialistas no gênero, mas não por todos, então pra que arriscar, certo?). Apesar do autor ser uma figura importante, afinal são as opiniões dele que formarão a essência da produção, seu texto correrá menos “riscos” se estiver completamente na terceira pessoa, numa linguagem neutra;
  • A linguagem formal e padrão da língua portuguesa é sempre lembrada nas instruções das redações, mas não custa dizer mais uma vez: nada da escrita que usamos com a galera no Whats. Deixem as abreviações, gírias e expressões populares (essas últimas só se estiverem muuuuito bem contextualizadas) para a saída, ao conversar com o pessoal pra ver como todos foram na prova, combinado?

O que acharam das dicas dessa semana? Já tinham analisado o gênero dissertativo argumentativo nas aulas? Treinam bastante esse tipo de texto? Contem pra gente nos comentários e até semana que vem!

 


*Vanessa Christine Ramos Reck é graduada em Letras na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e fluente em mais três idiomas: Inglês, Espanhol e Francês. Além disso, é corretora do Curso Online do infoEnem. Seus artigos serão publicados todas as quintas, não perca.

Compartilhar
Manual do Sisu e Prouni

Receba GRATUITAMENTE o Manual para Sisu e ProUni




Sim Não




Outros artigos que você vai gostar:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *