Ortografia: Junto ou Separado?

Olá,meuscarosleitores!Éumprazerestarcomvocêsnovamente!

Ops! Tudo junto assim dificulta a leitura, não é mesmo? Vamos tentar novamente:

Olá, meus caros leitores! É um prazer estar com vocês novamente! E hoje o assunto é essa dificuldade com o ‘junto ou separado’.

O espaço que separa uma palavra da outra é uma ‘invenção’ para organizar o texto e facilitar a leitura. Os textos antigos não eram assim, todas as palavras eram escritas ‘grudadas’ umas nas outras e, só na Idade Média, os monges copistas (encarregados de produzirem, à mão, cópias dos livros) introduziram os espaços e criaram alguns sinais de pontuação, com a intenção de facilitar a leitura e, consequentemente, a compreensão.

Atualmente, separar uma palavra da palavra seguinte na escrita é uma prática comum, mas como nem tudo é simples neste universo dos idiomas, há situações em que as palavras podem ser grafadas juntas (na verdade, formando uma só palavra), com um significado, e separadas, com sentido diferente. E há, ainda, casos em que elas devem estar sempre separadas!!!

Vou listar aqui alguns dos casos que mais frequentemente causam dúvidas e, em seguida, as dicas para não errar:
 

SENÃO X SE NÃO

As duas expressões têm sentidos diferentes: junto, senão significa ‘a não ser’:

  • Não lhe resta outra coisa a fazer senão pedir desculpas.

Pode significar também ‘do contrário’:

  • Coma tudo, senão ficará anêmico.

Já separado, se não transmite a ideia de condição:

  • Se não chover, faremos o churrasco.

A dica para escolher a forma certa é tentar substituir a expressão por caso não, alterando o tempo verbal (do futuro do subjuntivo para o presente do subjuntivo). Isso só funcionará se a expressão for condicional. Se a troca não funcionar, a expressão deverá ser escrita em uma só palavra. Vamos experimentar?

  • O que é isso senão / se não um jogo? => O que é isso caso não um jogo?

Ficou bom? Não, ‘não deu liga’ na frase. Nessa situação devemos, portanto, escrever senão, tudo junto: “O que é isso senão um jogo?”. Vejamos outro teste:

  • Se não/senão der para terminar a pesquisa hoje, marcaremos mais uma reunião. => Caso não dê para terminar a pesquisa hoje, marcaremos mais uma reunião.

A frase não perde o sentido quando trocamos o se pelo caso, por isso deverá ficar separado: Se não der para terminar a pesquisa hoje, marcaremos mais uma reunião.
 

ACERCA DE X HÁ CERCA DE

Acerca de significa ‘a respeito de’, ‘sobre’ e pode ser trocado por esses termos.

  • Ele fez a palestra acerca de DSTs. (Ele fez a palestra sobre/a respeito de DSTs.)

Há cerca de indica existência de algo e a ideia de quantidade aproximada e o verbo pode ser trocado pelo sinônimo EXISTIR.

  • Naquela sala, há cerca de trinta candidatos.
  • Naquela sala, existem cerca de trinta candidatos.

Convém lembrar que o verbo HAVER, nesse sentido, é impessoal e não apresenta sujeito, ficando sempre na 3ª pessoa do singular, enquanto que o sinônimo EXISTIR tem sujeito e deve fazer a concordância com ele no singular ou no plural.
 

AFIM X A FIM

Afim é um adjetivo que significa semelhante a, similar a, indica a presença de afinidade, como na frase:

  • A língua portuguesa é afim com a espanhola. (Ambas têm semelhanças.)

Já a expressão a fim (de) indica uma finalidade e pode ser trocada pela preposição para:

  • Estudamos muito a fim de obter bons resultados nos exames.
  • Estudamos muito para obter bons resultados nos exames

 

DEBAIXO X DE BAIXO

Junto, debaixo pode indicar posição ou condição inferior, podendo ser substituído por sob, como vemos nas frases:

  • Escondeu-se debaixo da mesa. (sob a mesa)
  • Vivem debaixo do mesmo teto. (sob o mesmo teto).

Separado, de baixo é usado em oposição a de cima:

  • A parte de baixo do biquíni tinha estampa diferente da parte de cima.
  • Na parte de baixo da estante ficavam as revistas, enquanto na de cima havia livros.

E para finalizar o artigo desta semana, não custa nada lembrar que as seguintes palavras são SEMPRE escritas SEPARADAMENTE: com certeza, de repente, por isso, a partir.

É isso! Até a próxima semana!

 


Margarida Moraes é formada em Letras pela Universidade de São Paulo (USP), onde também concluiu seu mestrado. Além dos mais de 20 anos de experiência, corretora do nosso sistema de correção de redação e responsável pela resolução das apostila de Linguagens e Códigos do infoenem, a professora também é colunista de gramática do nosso portal. Seus textos são publicados todos os domingos. Não perca!

Compartilhar
Manual do Sisu e Prouni

Receba GRATUITAMENTE o Manual para Sisu e ProUni




Sim Não




Outros artigos que você vai gostar:




2 Comentários

alteni

estudar é uma das virtudes da vida

Responder

Samuel Alencar

Há cerca de um mês atrás refletia acerca disso.

Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *