No plural ou no singular? Palavras que mudam de significado

Férias, verão chegando… muita gente vai para praias da COSTA brasileira, onde pode deitar de COSTAS, para descansar e bronzear-se.

Deitar de costas? No plural? Sim!

Como diz a música do grupo Rodox:

(…) Vou ficar de costas para o mar
Pra ver se ele me leva
Pra perto de você(…)”
( https://www.vagalume.com.br/rodox/de-costas-para-o-mar.html )

 

O eu lírico vai ficar de frente para a faixa de areia, e a parte do corpo também denominada ‘dorso’ ficará voltada para o mar. Assim costas (no plural) significa dorso, parte posterior do tronco.

Já quando Tim Maia faz referência às praias cariocas em:

(…)Do Leme ao Pontal
Não há nada igual…no mundo
Do leme ao Pontal
Do leme ao Pontal
Não há nada igual
Sem contar com Calabouço, Flamengo, Botafogo
Urca, Praia Vermelha(…)”
(https://www.vagalume.com.br/tim-maia/do-leme-ao-pontal-2.html )

Ele se refere a um trecho da costa fluminense, fala, portanto, do trecho litorâneo, da faixa de terra que acompanha o mar.

Assim como essa, há algumas outras palavras que mudam de significado quando empregadas no singular ou no plural. Vejamos outros exemplos:

  • bem: virtude
  • bens: propriedade
  • cobre: metal
  • cobres: dinheiro
  • copa: ramagem
  • copas: naipe de baralho
  • féria: lucro, dinheiro
  • férias: período de descanso
  • liberdade: livre escolha
  • liberdades: regalias
  • ouro: metal
  • ouros: naipe de baralho
  • vencimento: fim de um contrato
  • vencimentos: salários

Há também alguns substantivos que não se empregam no singular, têm apenas a forma plural, como as algemas, as cócegas, as condolências, as damas (jogo), as fezes, as hemorroidas, as nádegas, as núpcias, as olheiras, as palmas (aplausos), as trevas, as vísceras, os afazeres, os apetrechos, os arredores, os Bálcãs, os confins, os idos, os parabéns, os pêsames, os víveres, entre outros.

E há algumas que mudam de significado ao mudarem de gênero. A dupla mais famosa nas questões dos concursos é “o grama” (unidade de massa) e “a grama” (relva, vegetação). Mas encontramos também estas duplas:

  • o caixa = o funcionário
  • a caixa = o objeto
  • o capital = dinheiro
  • a capital = sede de governo
  • o guarda = o soldado
  • a guarda = vigilância, corporação
  • o guia = aquele que serve de guia, cicerone
  • a guia = documento, formulário; meio-fio
  • o moral = estado de espírito
  • a moral = ética, conclusão
  • o banana = pessoa de pouca iniciativa (coloquial)
  • a banana = a fruta

Assim, é preciso ampliar o vocabulário, para que essas palavras com características tão particulares não deem trabalho nas questões de provas e concursos ou na produção de textos. Para isso, recomenda-se leitura, leitura atenta e, ao menor sinal de dúvida, o melhor caminho é consultar um bom dicionário.

É isso!

Até a próxima semana!

 


Margarida Moraes é formada em Letras pela Universidade de São Paulo (USP). Com mais de 20 anos de experiência, corretora do nosso Curso de Redação Online (CLIQUE AQUI para saber mais) e responsável pela resolução das apostila de Linguagens e Códigos do infoEnem, a professora é colunista de gramática do nosso portal. Seus textos são publicados todos os domingos. Não perca!

Compartilhar
Manual do Sisu e Prouni

Receba GRATUITAMENTE o Manual para Sisu e ProUni




Sim Não




Outros artigos que você vai gostar:




2 Comentários

Polliana

Achei que palavras como: palma, treva, afazer… estivessem corretas.
Vivendo e aprendendo! Obrigada Infoenem por todas as informações super importantes.

Responder

PH

O caixa guardou o capital, os cobres, os vencimentos, na caixa da capital. Ao fim, aproveitou o vencimento, retirou sua féria para tirar férias.
Isso deve ser muito complicado para os estrangeiros, que bom que são expressões pouco usuais. Hehe!

Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *