“Muito Pouco”, Só “Muito” ou Só “Pouco”? Qual Está Correto?

Esta semana alguns alunos me perguntaram a respeito dessa combinação de palavras. Uns achavam que os termos, por serem antônimos, não poderiam ficar juntos. Outros não tinham essa convicção, pelo fato de verem a expressão, com certa frequência, em textos que obedecem à norma culta.

Vamos então aos fatos: na verdade não há mesmo nenhum problema com a expressão “muito pouco”. Temos, no caso, dois advérbios: o primeiro intensifica o segundo, dando-lhe um sentido superlativo, ou seja, “muito pouco” equivale a “pouquíssimo”.

Relembremos que a classe dos advérbios tem a função de acrescentar circunstâncias e podem alterar o sentido de um verbo, de um adjetivo ou de outro advérbio. Esse último emprego é o que ocorre na seguinte construção:

  • Essa noite eu dormi muito pouco“.

“Pouco” é um advérbio que se refere ao verbo dormir, enquanto “muito” é um advérbio que intensifica “pouco”.
Vejamos agora esse emprego na música do Paulinho Moska, gravada pela Maria Rita:

Muito pouco

Pronto,
agora que voltou tudo ao normal
talvez você consiga ser menos rei
e um pouco mais real
esqueça
as horas nunca andam para trás
todo dia é dia de aprender um pouco
do muito que a vida traz

mas muito pra mim é tão pouco
e pouco é um pouco demais
viver tá me deixando louca
não sei mais do que sou capaz
gritando pra não ficar rouca
em guerra lutando por paz
muito pra mim é tão pouco
e pouco eu não quero (mais) (…)

https://www.vagalume.com.br/maria-rita/muito-pouco.html

Na canção, o compositor usou a expressão “muito pouco” no título e, no refrão, empregou os equivalentes “tão pouco” e “pouco demais”, ambos denotando intensidade, todos de acordo com a norma culta.

Encontramos também, em vários textos, construções como a seguinte:

  • Ele sentia muito pouca dor, após a cirurgia“.

Neste caso, “pouca” não é advérbio, mas um pronome indefinido (pronome adjetivo, que acompanha substantivo), com sentido de “escassa, insuficiente”, motivo pelo qual sofre flexão (neste caso, de gênero) para concordar com o substantivo “dor”. Não é, portanto, a mesma situação inicial, em que ambos os termos permanecem invariáveis, porém o ‘muito’ continua agindo como advérbio, intensificando o ‘pouca’ e por isso, permanece inalterado, não sendo possível, de acordo com a norma culta, a expressão “muita pouca dor”.

Espero que os alunos tenham muito poucas dúvidas a respeito dessas palavras!

Até a próxima semana!

 


Margarida Moraes é formada em Letras pela Universidade de São Paulo (USP). Com mais de 20 anos de experiência, corretora do nosso Curso de Redação Online (CLIQUE AQUI para saber mais) e responsável pela resolução das apostila de Linguagens e Códigos do infoEnem, a professora é colunista de gramática do nosso portal. Seus textos são publicados todos os domingos. Não perca!

Compartilhar
Manual do Sisu e Prouni

Receba GRATUITAMENTE o Manual para Sisu e ProUni




Sim Não




Outros artigos que você vai gostar:




3 Comentários

Ruan Loufelis

Posso usar essa expressão em uma redação ?

Responder

Alberto

Ambos certo, de acordo com a expressão da frase.

Responder

Jose carlos

Nao.foi uma boa explicarão

Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *