Lembretes de pontuação para o Enem – parte 2

Continuando a conversa da semana anterior, vamos ver mais algumas particularidades dos sinais de pontuação. Como havíamos mencionado, há um grupo de sinais que são empregados para indicar o fim de um enunciado e outro grupo que serve para organização interna da frase, mas não a encerra.

Trataremos agora do segundo grupo. Esses sinais organizam melódica e sintaticamente as frases, às vezes determinando também a coerência do enunciado.  São eles:

  • Dois-pontos ( : )

O emprego mais familiar aos leitores é o que marca a “mudança de turno” do narrador, transferindo-o para as personagens, ou seja, marcam o fim da participação do narrador. Nesse caso, eles vêm combinados com o travessão logo na sequência, o qual marca o início da fala da personagem, como no exemplo:

O professor perguntou:

 Quantas faces tem um icosaedro?

São também empregados antes de apostos ou orações apositivas, enumerações ou expressões que explicam ou resumem ideias anteriores:

Só desejo uma coisa: que meus alunos tenham sucesso. (oração subordinada substantiva apositiva)

Traga-me os seguintes equipamentos: trena, prumo, alicate e martelo. (aposto enumerativo)

Também marcam o início de uma citação direta (e esta virá isolada por aspas):

Como já dizia Fernando Pessoa: “Tudo vale a pena, se a alma não é pequena”.

  • Parênteses ( )

Usados sempre aos pares, servem para isolar palavras, frases intercaladas, geralmente de caráter explicativo, e, em alguns casos, também podem substituir as vírgulas ou os travessões:

Muitos candidatos dizem (embora poucas pessoas acreditem) que são honestos.

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) é um órgão das Nações Unidas cujo objetivo é promover a defesa dos direitos das crianças, ajudar suprir suas necessidades e contribuir para o seu desenvolvimento.

Ah! Parênteses e aspas são como gavetas… se abrir, feche!

  • Travessão ( — )

Ao lado das aspas, podem ser empregados para marcar a fala de personagens, nos textos narrativos (ver mais detalhes sobre esse emprego em https://www.infoenem.com.br/travessao-ou-aspas-qual-o-mais-adequado/ )

Além desse uso mais conhecido pelos leitores, ele pode também substituir a vírgula em expressões ou frases explicativas:

A MPB — música popular brasileira — não é tão popular assim…

Também o utilizamos para unir origem e destino, nas expressões que indicam itinerários:

Há muitos trechos sem asfalto na rodovia Belém—Brasília.

  • Aspas ( “ ” )

As aspas são utilizadas para isolar palavras ou expressões que fogem à norma culta, como gírias, estrangeirismos, palavrões, neologismos, arcaísmos e expressões populares:

Eu “buguei” depois daquela explicação confusa.

Ele deu um “feedback” ao cliente.

Podem também indicar uma citação direta ou fala de personagem (neste caso, em lugar dos travessões), como foi apresentado no artigo (https://www.infoenem.com.br/travessao-ou-aspas-qual-o-mais-adequado/ )

Além desses casos, também empregamos as aspas para marcar a figura de linguagem denominada ironia, pois nem sempre o contexto permite que a identifiquemos facilmente (na linguagem falada, o tom de voz e a expressão corporal e facial dão as pistas do uso de ironia):

— Percebo que você recebeu uma “ótima” educação, quando o vejo jogando lixo pela janela do carro!

Observação importante: caso seja necessário destacar um termo que já está inserido em um trecho destacado por aspas, esse termo deve ser destacado com marcação simples (‘  ’), não dupla (“  ”).

E no próximo artigo, trataremos de mais dois sinais, que costumam tirar o sono de quem escreve: a vírgula e o ponto e vírgula.

Até a próxima semana!

 


Margarida Moraes é formada em Letras pela Universidade de São Paulo (USP), instituição na qual também concluiu seu mestrado. Com mais de 20 anos de experiência e responsável pela resolução das Apostila de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias do infoEnem, a professora também é colunista de gramática do nosso Portal e umas das corretoras do curso de redação online (clique aqui para saber mais). Seus artigos são publicados semanalmente, sempre aos domingos. Não perca!

Compartilhar
Manual do Sisu e Prouni

Receba GRATUITAMENTE o Manual para Sisu e ProUni




Sim Não




Outros artigos que você vai gostar:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *