Interação Gênica: entenda o que é e como funciona

Muitas vezes, no estudo de genética, vamos nos deparar com uma situação em que dois ou mais pares genes alelos são responsáveis por determinar uma característica de um ser. Nestes casos, dizemos que ocorre uma interação gênica e, devido à quantidade de genes, muitas vezes as proporções estudadas nos artigos anteriores sobre as leis de Mendel não podem ser aplicadas (veja aqui e aqui). Esta interação pode ser classificada em epistática e não epistática.

Epistática

É aquela interação em que um gene, chamado epistático, impede a manifestação de outro, chamado hipostático. A epistasia pode ainda ser dividida em dominante e recessiva, sendo dominante quando apenas um alelo for suficiente para inibir o hipostático e recessiva quando forem necessários dois alelos. Um caso clássico de epistasia recessiva refere-se à cor dos pelos dos ratos.

Três cores são possíveis: preto, aguti e branco. Estabelecendo se a letra a, temos que aguti é dominante (AA ou Aa) e preto é recessivo (aa). Porém, um outro gene pode impedir a manifestação da cor, gerando o pelo branco. Estabelecendo a letra c, temos que, se dominante (CC ou Cc), a cor manifesta-se normalmente, podendo ser aguti (AACC, AACc, AaCc, AaCC) ou preto (aaCC, aaCc) e, se homozigoto recessivo (cc), a cor será branca (AAcc, Aacc, aacc). Veja a figura abaixo resumindo as possibilidades citadas:

 

 

Neste caso, portanto, um gene pode impedir a expressão de outro, independentemente deste último ser dominante ou recessivo.

Não epistática

Já interação não epistática ocorre quando um gene não impede a manifestação do outro, como ocorre no exemplo do tipo de crista de galinhas. Existem quatro possibilidades de crista: rosa, ervilha, noz e simples. O gene E é responsável pela formação da crista ervilha, e o R pela rosa.

Portanto, os genótipos EErr e Eerr referem-se à ervilha, e eeRR e eeRr à rosa. Porém, quando os dois dominantes estão presentes (EERR, EeRr, EERr ou EeRR) forma-se a crista noz e quando há homozigose recessiva (eerr) forma-se a crista simples. Veja a imagem abaixo que resume bem os casos explicitados:

 

Deste modo, ambos os genes influenciam no tipo de crista, mas nenhum impede a expressão do outro.

Compartilhar
Manual do Sisu e Prouni

Receba GRATUITAMENTE o Manual para Sisu e ProUni




Sim Não




Outros artigos que você vai gostar:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *