Funções Inorgânicas – Ácidos, Bases, Sais e Óxidos

Quando falamos sobre funções em Química, é comum lembrar das orgânicas, formadas por átomos de carbono, como álcoois, ácidos carboxílicos, éteres, ésteres… Entretanto, também é importante compreender as funções inorgânicas, ou seja, aquelas que não derivam de átomos de carbono. Estas funções, das quais falaremos agora, são os ácidos, as bases, os sais e os óxidos, e são agrupados desta forma por possuírem propriedades semelhantes.

Para fazer essa classificação, devemos primeiro entender a Teoria da Dissociação Iônica, apresentada por Svante Arrhenius em 1884. O químico, através de suas experiências, chegou à conclusão de que as soluções iônicas podiam transportar corrente elétrica devido à quebra da molécula iônica quando entrava em contato com a água, de modo que íons positivos (cátions) e negativos (ânions) eram formados, em uma reação denominada ionização.

Com isso, Arrhenius classificou os ácidos como aqueles compostos que sofrem ionização na água e liberam cátions H+. No exemplo abaixo, podemos observar a ionização do ácido clorídrico, que forma como cátion somente H+.

 

Já as bases são compostos que, em contato com a água, liberam como ânions somente OH- (hidroxilas), como é possível observar no exemplo abaixo. O hidróxido de sódio resulta em um cátion Na+ e um ânion OH.

 

Os sais são os compostos que, em contato com a água, liberam pelo menos um cátion que não seja H+ e um ânion que não seja OH, como ocorre com o cloreto de sódio, mostrado no exemplo abaixo.

Os óxidos são os únicos compostos, dentre as quatro principais funções inorgânicas, que não classificamos seguindo a Teoria da Dissociação Iônica. Estes compostos são aqueles que possuem dois elementos e o oxigênio é o átomo mais eletronegativo. Um exemplo de óxido é o dióxido de enxofre (SO2), em que o oxigênio é mais eletronegativo do que o enxofre. Se você não lembra o que é eletronegatividade, recomendamos que acesse o seguinte artigo – Propriedades Periódicas dos Elementos Químicos.

Agora podemos então classificar um composto inorgânico como ácido, base, sal ou óxido, conceitos muito cobrados nos grandes vestibulares, principalmente no Enem.

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *