Estudando os Pontos Colaterais, Subcolaterais e a Rosa Dos Ventos

Na postagem anterior estudamos sobre os pontos cardeais e a sua aplicação nas rosas dos ventos (relembre aqui!). Explicamos sobre a sua importância e também sobre a sua utilização, exemplificando o seu posicionamento (no caso dos pontos Leste e Oeste) em relação ao movimento do sol ao longo do dia. O objetivo da postagem de hoje é apresentar os pontos colaterais e subcolaterais, explicando a sua importância e também sobre a sua utilização. Além disso, como os utilizaremos em uma rosa dos ventos, vamos apresentar uma maneira de construí-la de maneira adequada!

Como já estudamos, você sabe que os pontos cardeais são muito importantes para a navegação, que era um meio muito eficiente para uma época em que não existiam os sistemas de monitoramento via satélite, tais como o GPS. Desta forma, os quatro pontos cardeais: Norte, Sul, Leste e Oeste foram apresentados. Como também falamos, para os quatro pontos acima citados, utilizaremos as siglas N, S, E e O para representa-los, respectivamente. Os motivos, também apresentados em nossa postagem anterior, serão melhor observados adiante.

Pontos Colaterais

Como já observamos na rosa dos ventos anteriormente, os pontos cardeais dividem o nosso círculo posicional em quatro partes iguais, ou seja, os pontos dividem em posições que variam a cada 90°. Todavia, para orientar o posicionamento de uma maneira precisa, os 90° não são suficientes, e é aí que são utilizados os pontos colaterais. Desta forma, cada ponto colateral estará exatamente entre dois pontos cardeais, o que leva a uma divisão de nosso círculo visual a cada 45°. Entendido isso, vejamos quais são os pontos colaterais:

  • Nordeste: É o ponto colateral posicionado entre os pontos cardeais Norte e Leste. É representado pela sigla NE;
  • Sudeste: É o ponto que está localizado entre os pontos cardeais Leste e Sul. Indicado pela sigla SE;
  • Sudoeste: É o ponto cardeal orientado entre os pontos cardeais Sul e Oeste. Para representa-lo, usa-se a sigla SO e;
  • Noroeste: É aquele situado entre os pontos cardeais Oeste e Norte, cuja sigla é NO.

Veja agora o posicionamento dos quatro pontos colaterais ao longo da rosa dos ventos:

Pontos subcolaterais

A divisão realizada pelos pontos colaterais em 45° muitas vezes não é suficiente, de modo a serem utilizados os pontos subcolaterais. Do mesmo modo anterior, os pontos subcolaterais vão dividir o espaço entre um ponto colateral e um cardeal ao meio, o que resultará em 22,5° entre cada ponto. Os pontos subcolaterais estão registrados na tabela abaixo:

  Ponto
  
Localização (entre os pontos)Sigla
  Norte-Nordeste
  
  Norte
  
  Nordeste
  
  NNE
  
  Leste-Nordeste
  
  Leste
  
  Nordeste
  
  ENE
  
  Leste-Sudeste
  
  Leste
  
  Sudeste
  
ESE
  Sul-sudeste
  
  Sul
  
  Sudeste
  
  SSE
  
  Sul-sudoeste
  
  Sul
  
  Sudoeste
  
  SSO
  
  Oeste-sudoeste
  
  Oeste
  
  Sudoeste
  
  OSO
  
  Oeste-noroeste
  
  Oeste
  
  Noroeste
  
  ONO
  
  Norte-noroeste
  
  Norte
  
  Noroeste
  
  NNO
  

Deste modo, completamos a rosa dos ventos convencional, com a ilustração dos 16 pontos que a compõem:

Instruções para a construção de uma rosa dos ventos

Construir uma rosa dos ventos é relativamente simples! A maneira mais prática de realizar esta construção é através de duas retas perpendiculares, onde colocaremos os quatro pontos cardeais e a dividiremos em 4 quadrantes. Feito isso, os pontos colaterais serão colocados através de duas retas que dividem os quadrantes ao meio. Os subcolaterais serão através de retas que dividem novamente ao meio os setores criados. Feito isso, a rosa dos ventos está pronta! E você pode incrementá-la de maneira a ficar mais destacada, mas a função básica é a mesma!

Compartilhar
Manual do Sisu e Prouni

Receba GRATUITAMENTE o Manual para Sisu e ProUni




Sim Não




Outros artigos que você vai gostar:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *