Estudando os Blocos Econômicos – ALCA

Neste artigo estudaremos mais um bloco econômico que, se vier a se tornar realidade, será muito importante para as associações entre países do mundo, além de ter potencial para ser o maior em extensão territorial. Tal bloco foi criado pelos Estados Unidos e é chamado de ALCA (Área de Livre Comércio das Américas). Como todo bloco econômico, possui funções que visam estabelecer relações entre os membros para se integrarem econômica e socialmente. Entretanto, nota-se que ele é um projeto, já que as negociações pararam em 2005. Vamos entender o porquê.

Os EUA criaram esta proposta em dezembro de 1994. A ALCA seria uma união entre todos os 34 países das 3 Américas: do sul, central, e do norte. Teria como principal objetivo uma área de livre comércio entre elas a partir da redução de taxas alfandegárias, o que melhoraria o comércio dos países envolvidos. A partir da ideia, ocorreram várias negociações entre os países a partir de abril de 1998, na Segunda Cúpula das Américas em Santiago, no Chile. Foram propostas ideias que visavam elevar o nível de vida da população dos países integrantes, as condições de trabalho e as relações ambientais. É importante ressaltar que Cuba não faria parte deste acordo.

Todavia, algumas nações começaram a se manifestar contra a consolidação do bloco, afirmando que ele seria uma maneira de os Estados Unidos controlarem o comércio de todo o continente americano e tentariam integrar economias muito diferentes como Brasil e Haiti, por exemplo, o que poderia gerar prejuízo para um dos lados. Outra desvantagem levantada pela associação seria a perda da identidade cultural das nações, que seriam cada vez mais influenciadas pela cultura norte-americana, que já é muito presente na vida destas populações. Além disso, a proposta dos EUA era composta por medidas protecionistas apenas para sua própria economia. Do lado norte-americano, havia o receio por parte dos civis de que o país fosse buscar mão de obra mais barata nos outros países, causando desemprego, além do temor em relação a produtos estrangeiros.

O Brasil defende a ideia de uma abertura lenta e gradual, a partir de negociações entre os blocos econômicos para que os parques industriais do países menos desenvolvidos não sejam totalmente detonados na abertura econômica pela indústria extremamente desenvolvida dos Estados Unidos da América.

Compartilhar
Manual do Sisu e Prouni

Receba GRATUITAMENTE o Manual para Sisu e ProUni




Sim Não




Outros artigos que você vai gostar:




Comentários

Henrique

O termo “norte-americano” ainda é utilizado no lugar de estadunidense? A América do Norte é composta por pelo menos três países.

Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *