Estudando a Classificação dos Solos

Em nossa postagem de hoje vamos falar sobre um importante conteúdo de geografia para o Enem 2019, que são os solos. Mais especificamente, vamos explora a classificação dos solos. Para isso, faremos uma explicação sobre os solos, além de apresentar as suas classificações segundo diferentes critérios.

Antes de prosseguirmos, é importante entendermos o que são os solos. Os solos são definidos como a composição de recursos naturais que foram formados a cerca de milhões de anos atrás, através das ações de intemperismo sobre as rochas. Devido ao tempo elevado para a sua formação, são diversas as maneiras de classificação e também os tipos de solos existentes. Veremos a seguir cada uma destas classificações.

Classificação dos solos quanto a origem

Quanto a sua origem, podemos realizar a classificação dos solos de duas maneiras diferentes, que são os solos eluviais e também os solos aluviais. Vamos falar sobre cada um destes solos.

  • Solos eluviais: Os solos eluviais são entendidos como aqueles que são formados por rochas encontrados no mesmo local de sua formação, ou seja, as rochas sofreram o processo de decomposição no mesmo local para então se tornar o solo atual.
  • Solos aluviais: Por sua vez, os solos ditos aluviais são os solos em que a formação ocorre através de sedimentos e rochas de outras localidades, ou seja, não são originados da mesma região. Os sedimentos e rochas podem ser transferidos de diversas maneiras, mas as principais são através dos ventos e também da água dos rios e das chuvas.

Classificação dos solos de maneira zonal

Podemos também realizar a classificação os solos de maneira zonal, que classifica os solos através da influência externa a que são submetidos. Segundo este critério, podemos classificar os solos em três categorias, que são os solos zonais, os intrazonais e também os solos azonais. Vamos explorar agora cada um destes tipos.

Solos zonais

Os solos zonais são aqueles bem definidos, que possuem maior tempo de formação e uma maior profundidade. São quatro os solos zonais, que mostraremos a seguir:

  • Latossolos: Estes são solos normalmente inférteis, com profundidade superior aos 2 metros. Típico de regiões quentes e úmidas.
  • Podzóis: Os podzóis acumulam grandes quantidades de minérios, húmus e matéria orgânica. São típicos de regiões de clima temperado.
  • Solos de pradarias: Solos típicos das regiões de pradarias, ricos em matéria orgânica.
  • Desérticos: Solos comuns em regiões desérticas. Não muito profundos e inférteis.

Solos intrazonais

São os solos também devidamente desenvolvidos. No entanto, estes solos são muito influenciados pelo seu local e também fatores externos diversos. Os seus principais tipos são:

  • Solos salinos: Ou solos halomórficos, são solos que possuem uma alta salinidade, típico de regiões áridas ou próximas ao mar. São normalmente inférteis ou de fertilidade baixa.
  • Solos hidromórficos: São os solos localizados no entorno de rios e lagos. Sua fertilidade varia de acordo com a umidade da região.

Solos aluviais

São solos pouco desenvolvidos e, consequentemente, muito rasos. Classificam-se em:

  • Solos aluviais: Presentes em áreas de formação recente, onde ocorre o transporte de sedimentos.
  • Litossolos: Solos inférteis, presentes em locais de declive muito acentuado. Costumam estar em contato direto com a rocha formadora.

Deste modo, estudamos sobre os diferentes tipos e classificação dos solos. Entender estas características referente a geografia física do nosso planeta é muito importante para a realização das provas do Enem!

Compartilhar
Manual do Sisu e Prouni

Receba GRATUITAMENTE o Manual para Sisu e ProUni




Sim Não




Outros artigos que você vai gostar:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *