Era, não é mais – palavras que mudaram de sentido ao longo do tempo

Esta semana fui à inauguração de um centro cultural criado no espaço de um antigo cinema de minha cidade1. O proprietário original, velho amigo de meu pai, era uma pessoa ‘sui generis’ – sonhador, criativo, empreendedor. E tinha um bordão: “Formidável! ” Segundo seus netos, responsáveis pelo resgate do sonho do sr. Vasco, tudo para ele era formidável, o bordão dito de diferentes modos, com diferentes entonações, de acordo com cada situação com que ele se deparava.

E com essa palavra na mente, fui pesquisar o significado, uma vez que já a encontrara empregada de muitas maneiras distintas. Formidável, como outras tantas palavras, surgiu com um sentido, que foi se alterando com o passar do tempo, conforme as situações de comunicação, os contextos e os próprios falantes foram sofrendo mudanças. Originalmente era algo “que inspira grande medo, pavor; assustador, aterrador” e sofreu uma inversão semântica, tendo agora sentido positivo. Segundo o Houaiss, é o “ que ultrapassa as dimensões usuais; colossal, gigantesco; que suscita admiração; extremamente belo ou bom; magnífico; ótimo, excelente, fantástico”.

Outros dois termos que sofreram inversão, na verdade foi mais uma troca do tipo: ‘eu fico com seu significado e você fica com o meu”, foram os vocábulos aquário e piscina. O primeiro veio do latim aquarium, que era um tanque, um reservatório de água, derivado de aqua (água). Já o segundo veio do latim piscina – viveiro para peixes – derivado de piscis (peixe) — de onde também vem pisciano, aquele que nasce sob o signo de Peixes.

As mudanças de significado podem ocorrer por meio de diferentes mecanismos, os quais nem sempre são claros ou perceptíveis para a maioria das pessoas, porque a alteração não acontece de uma forma rápida. Ocorre lentamente, por vezes ao longo de várias gerações. Dentre esses mecanismos, a metáfora e a metonímia são bastante frequentes.

Vejamos mais alguns exemplos de alterações de sentido:

 

  • Armário – do latim armarium, era o lugar onde se guardavam armas. No próprio latim a palavra teve seu sentido ampliado para guarda-louça, cofre, biblioteca e hoje é empregado para denominar um móvel para guardar objetos variados;
  • Brigadeiro – é termo militar que denomina o oficial comandante de uma brigada. Já o doce surgiu depois da Segunda Guerra Mundial, quando havia um grande o racionamento de açúcar, leite e ovos por aqui. Uma cozinheira resolveu fazer um doce sem esses ingredientes e misturou leite condensado com chocolate, batizando-o de brigadeiro, em homenagem ao brigadeiro Eduardo Gomes, candidato à Presidência da República nas eleições de 1945;
  • Carregador – originalmente ‘homem que carrega’, passou a designar o equipamento para dar carga elétrica em aparelhos eletrônicos;
  • Emboscada – do italiano imboscata, derivado de imboscare significava originariamente esconder animais ou pessoas num bosque (bosco, bosque em italiano). Uma emboscada é feitas por quem se esconde (não mais no bosque necessariamente) para atacar de surpresa;
  • Preservativo – originalmente ‘aquilo que preserva’, hoje é sinônimo de um método contraceptivo e de prevenção a DSTs;
  • Restaurante – do francês restaurant, aquilo que restaura, no século XVI ficou com o sentido de alimento reconstituinte, para revigorador das forças e no século seguinte, restaurant passou a denominar um caldo de carne concentrado, que restaurava o ânimo físico e moral e, por metonímia, os locais onde se servia esse caldo passou a ter com o nome do prato;
  • Sofisticado – usada geralmente com o sentido de “chique, de extremo bom gosto, de alto nível”, o termo é derivado de “sofisticar”, sinônimo de “sofismar”, ou seja, “falsificar, adulterar, deturpar”, pois sofisma é “argumento falso formulado de propósito para induzir alguém a erro”.

A história das palavras é mesmo formidável, não acham?

Até a próxima semana!

 


1 https://www.odemocrata.com.br/inauguracao-da-primeira-etapa-do-centro-cultural-cine-sao-jose-esta-prevista-para-junho/


Margarida Moraes é formada em Letras pela Universidade de São Paulo (USP). Com mais de 20 anos de experiência, corretora do nosso Curso de Redação Online (CLIQUE AQUI para saber mais) e responsável pela resolução das apostila de Linguagens e Códigos do infoEnem, a professora é colunista de gramática do nosso portal. Seus textos são publicados todos os domingos. Não perca!

Compartilhar
Manual do Sisu e Prouni

Receba GRATUITAMENTE o Manual para Sisu e ProUni




Sim Não




Outros artigos que você vai gostar:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *