Entenda Tudo Sobre a Superlua e os Eclipses

Já estuamos aqui no portal infoEnem como ocorrem os movimentos da Lua, o que são suas fases e outras características do satélite natural da Terra (leia a matéria). Mas ainda não entendemos como funcionam fenômenos que não ocorrem todos os dias, como por exemplo a Superlua e os eclipses lunar e solar. É sobre estas questões que trataremos agora.

Superlua

A Superlua é o fenômeno em que, quando observamos nosso satélite, pensamos que ele está maior do que nos dias de lua cheia comuns. Isso ocorre no perigeu, momento em que ela encontra-se no ponto mais próximo da Terra devido ao seu movimento de revolução. Assim como a Superlua, existe a Microlua, momento em que ocorre o contrário, a Lua encontra-se no ponto mais distante da Terra e parece ter um tamanho menor, no ponto denominado apogeu.

Lua Azul

Outro fenômeno referente ao satélite é denominado Lua Azul e, ao contrário do que parece, a Lua não fica com tom azulado neste período. Quando observamos a lua cheia duas vezes em um mesmo mês, a segunda é denominada Lua Azul. Este fenômeno ocorre a cada dois anos e, neste ano, coincidiu com o dia da Superlua.

Eclipses

Já os eclipses ocorrem quando há um alinhamento entre dois corpos celestes, como por exemplo Terra e Lua, e o sol. Quando a Lua encontra-se entre a Terra e o Sol, ela pode encobrir a iluminação da estrela, o que é denominado eclipse solar e pode ser de quatro tipos. O eclipse solar total ocorre quando o sol é inteiramente escondido pela Lua, o parcial ocorre quando apenas uma parte é coberta, o anelar ou anular, quando a lua encontra-se mais distante e o tamanho dela visto da Terra não é suficiente para esconder todo o círculo do sol, cobrindo só a parte central e formando um anel no entorno, e o híbrido, quando de algumas partes do mundo é possível ver o eclipse total e de outros o anelar.

Quando a Terra se encontra entre o Sol e a Lua, podemos ver o eclipse lunar, no qual ao invés do sol, a lua é encoberta e, no caso do eclipse total, não é atingida pelos raios solares e pode ficar invisível. Assim como o anterior, é possível observar um eclipse lunar parcial, em que apenas uma parte da Lua é escondida, e o penumbral, em que a Lua se encontra em uma região de penumbra e pode ser vista, mas mais escura do que o comum.

Superlua Azul de Sangue
Fonte: Anthony DiLorenzo

Outro fenômeno que pode ser visto da Terra é a Lua de Sangue, ou Lua Sangrenta. Ela ocorre durante um eclipse lunar total, quando os raios solares passam pela atmosfera terrestre e apenas a parte vermelha é refletida, de forma que a Lua fique com tons alaranjados. Neste ano, a Lua de Sangue também coincidiu com a Superlua e a Lua Azul.

Agora quando virmos um noticiário comentando sobre alguns destes fenômenos podemos observar e entender melhor o que está acontecendo entre os corpos celestes do sistema solar, o que também já foi tema de questões do Enem e dos grandes vestibulares.

Compartilhar
25 Temas

Receba GRATUITAMENTE um ebook com os possíveis temas da redação do Enem 2018




Sim Não
* Um produto Descomplica




Outros artigos que você vai gostar:




Comentários

Entenda Tudo Sobre a Superlua e os Eclipses • infoEnem | infoEnem | Pesquisas de Química

[…] Fonte: Entenda Tudo Sobre a Superlua e os Eclipses • infoEnem | infoEnem […]

Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *