DNA: A Base Para o Entendimento da Genética

Um dos assuntos mais cobrados em Biologia no Enem é Genética. Pensando nisso, iremos explicar, em uma série de artigos, tudo o que você precisa saber para poder responder a questões desse assunto!

Podemos definir a genética como o ramo da Biologia que estuda os fenômenos relativos à hereditariedade e à variação. Por variação devemos entender qualquer diferença entre membros de uma mesma espécie. O conceito central da genética é o gene, o qual pode ser entendido como segmentos de DNA responsáveis pela determinação e transmissão das características hereditárias de um ser vivo.

E o que seria o DNA? O DNA é um dos tipos de ácido nucleico existentes, denominado ácido desoxirribonucleico, ou seja, trata-se de uma proteína constituída pelo encadeamento de unidades menores. O outro tipo de ácido nucleico é o RNA, ou ácido ribonucleico. Estes dois polímeros são formados pelos nucleotídeos. Por sua vez, cada nucleotídeo é composto por uma molécula de fosfato, uma de açúcar e uma base nitrogenada. Esta base nitrogenada pode ser de dois tipos: púricas ou pirimídicas. No caso do DNA, devemos lembrar que o açúcar que forma seus nucleotídeos é uma pentose, enquanto que as bases do tipo púricas são a adenina (A) e a guanina (G), e as pirimídicas são a citosina (C) e timina (T). Devemos guardar bem estes nomes, pois será o tipo de açúcar e uma base pirimídica que diferenciarão o DNA do RNA.

O DNA é formado por duas cadeias composta por muitos nucleotídeos (cadeias polinucleotídicas), as quais são caracterizadas por serem helicoidais, complementares e antiparalelas, comumente denominada de estrutura em dupla hélice. Como pode ser visto na figura abaixo, a parte externa de cada hélice é formada por uma sucessão de moléculas intercaladas de açúcar e fosfato, enquanto a parte interna das hélices é formada pela união de bases nitrogenadas, formando um par de bases, no qual sempre há uma base púrica ligada a uma base pirimídica por ligações de hidrogênio. Podemos ver que as duas cadeias são complementares porque cada adenina liga-se a uma timina, enquanto que cada citosina liga-se com guanina.

Fonte: http://www.ib.usp.br/evosite/history/dna2.shtml

Fonte: http://www.ib.usp.br

O DNA se duplica por um processo semiconservativo, mediado pela ação da enzima DNA polimerase, a qual é responsável pela quebra das pontes de hidrogênio e separação das cadeias. Nesse entremeio, cada cadeia liga-se a uma sequência complementar a partir do encadeamento de novos nucleotídeos. O resultado é a formação de duas novas cadeias completas, cada uma com metade da molécula de DNA original. Por conta disso o processo é chamado semiconservativo.

Fonte: https://djalmasantos.wordpress.com/page/29/

Fonte: https://djalmasantos.wordpress.com

Gostou desse artigo? Então não perca a continuação, na qual falaremos sobre o dogma central da genética e sobre o RNA.

Compartilhar

5 Comentários

Introdução à Genética – Assunto de Ciências da Natureza no Enem | infoEnem

[…] moléculas de DNA (ácido desoxirribonucleico) formam extensas sequências que são nomeadas cromossomos. Os cromossomos são chamados homólogos […]

Responder

O Dogma Central da Genética e o RNA - InfoEnem

[…] nosso primeiro artigo sobre genética explicamos sobre os conceitos básicos para o entendimento desta área de conhecimento. Agora que […]

Responder

4 Dicas para melhorar sua capacidade de memorização - InfoEnem

[…] civilizações antigas, definições da matemática, regras da língua portuguesa, composição do DNA, correntes marítimas, funções de química orgânica […]

Responder

lucia silva

gostaria de receber os conteúdos sobre as matérias que vão cair no enem

Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *