Dicas para Questões da Língua Inglesa para o Enem

Sabe-se que em relação à prova do Enem, não é suficiente apenas dominar o conteúdo, é necessário que seja praticada ainda a interpretação do texto e demonstração de repertório do conhecimento.

Considerando isso, é importante saber que na prova de inglês, deve ser usado o mesmo raciocínio, sendo necessário o aprendizado do idioma, porém ainda perceber a análise das questões e da prova, e como se cobra a língua.

Na seqüência são apresentadas orientações para não haver erro nesta parte, bem como estratégias infalíveis para lidar com cada matéria da língua inglesa.

Dicas para Ir Bem no Enem – Prova de Inglês

  1. Ter atenção com o tipo de texto apresentado pela questão, como artigo jornalístico, cartoon, anúncio, letra de música. Perceber ainda a fonte bibliográfica informada pela origem.
  2. Investir no próprio repertório de atualidades, cultural, conhecimentos gerais. É fundamental estar bem informado acerca de assuntos da atualidade podendo ser um diferencial, já que várias questões tratam temas contemporâneos.
  3. Ter atenção com topic sentences, que são as iniciais orações de parágrafos, já que os mesmos normalmente fazem introdução ou resumo do que é afirmado de modo mais desenvolvido no decorrer dos parágrafos.
  4. Na leitura da questão, buscar apontar a ideia central do texto, assim, qual é a pretensão do mesmo, anunciar, argumentar, protestar, entreter, entre mais.
  5. Notar como é estruturado o texto, ou seja, se imagens relacionadas existem, identificar título e subtítulo, se houver.
  6. É essencial seguir preparado para encontrar expressões desconhecidas ou novas. É necessário estar treinado para conseguir compreender o texto partindo de contexto geral, ainda que não entenda de modo exato o significado de determinadas palavras.
  7. Trata-se de referência pronominal, o ponto gramatical que tem exploração freqüente no Enem. O conhecimento dos pronomes possessivos, pessoais, relativos, demonstrativos é importante para a prova.
  8. As palavras cognatas ou os falsos cognatos, ainda populares de false friends, se caracterizam como as que parecem ter significado de algo, devido à similaridade com outras na língua portuguesa, porém, na realidade, apresentam definição muito diferente. São exemplos “actually” que significa “na realidade”, e não “atualmente”. Ou “policy” que quer dizer “política”, e não “polícia”. Ou ainda “sensible“, que tem significado de “sensato”, e não “sensível”.

Estratégias para Lidar com Cada Matéria do Inglês

Tempo Verbal

Ter atenção com o tempo da ação e com a seqüência dos fatos. Se existir a utilização do “past perfect” (passado perfeito), por exemplo, isto sinaliza que uma ação aconteceu anteriormente à outra.

Ordem Regular de Frases

Focar na ordem, portanto, no sujeito, no verbo, mais os complementos (adjuntos adverbiais, objetos, ou adjetivos).

Pronome Relativo

Estes são utilizados para que a repetição das palavras seja evitada no começo de uma oração nova. Como exemplo, “This is the woman who spoke with me last night” (Esta é a mulher que falou comigo na noite passada). Uma vez que eles mudam segundo a palavra que fazem substituição, a dica é ter atenção. “Which” para animais e coisas, “who“/”whom” para pessoas, “whose” que é possessivo.

Conjunção

As conjunções podem conferir vários sentidos para as frases, a depender do que apontam: finalidade, “so” (então), “therefore” (portanto); causa, “as” (como), “because” (porque); oposição, “although” (apesar), “but” (mas); ou junção das idéias, “moreover” (além disso), “and” (e).

Reported Speech

A utilização de discurso indireto, como exemplo “Paul said that he loved Mary” (Paul disse que ele amava Mary), é essencial para que seja percebido que a opinião acerca do assunto abordado em texto se caracteriza referente à outro indivíduo e não com o autor. Isso pode apontar o complemento para um argumento ou oposição das idéias.

Adjunto Verbal

Os adjuntos verbais se resumem fundamentais para interpretar o texto, já que indicam onde – “where“, quando – “when“, por quanto tempo – “how long“, e em especial, como – “how” uma ação foi realizada.

Artigos

A dica é ter atenção com a diferença entre os artigos indefinidos, “a“, “an“, e o definido, “the“. Eles mostram não apenas se o objeto foi citado pela primeira vez, no caso do “a” e “an“, e sua pluralidade ou singularidade, como exemplo, “the books” (os livros), “a book” (um livro).

Voz Passiva

Confere ênfase para ação feita em detrimento de sujeito. Um exemplo, “The machines were developed in a very short time” (As máquinas foram desenvolvidas em muito pouco tempo). A utilização da voz passiva sinaliza que é a prioridade no texto o desenvolvimento e rapidez e não quem o realizou.

Phrasal Verbs

Trata-se de verbos que alteram o significado segundo o advérbio ou preposição que o complementam, sendo exemplo “get in” – entrar, “get up” – levantar-se, “get out” – sair. Como existe uma lista bastante extensa para “phrasal verbs“, limite-se para os mais comuns. Busque uma lista com os mais utilizados e os memorize no contexto para que seja facilitada a associação deles aos seus significados.

Pronome

É fundamental saber que os pronomes se referem com objetos, animais, ou pessoas, em relação ao singular ou plural. É de importância ainda fazer reconhecimento se eles se mostram possessivos ou pessoais, por exemplo, já que isto pode gerar inferências equivocadas acerca do texto.

Compartilhar
Manual do Sisu e Prouni

Receba GRATUITAMENTE o Manual para Sisu e ProUni




Sim Não




Outros artigos que você vai gostar:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *