Como é mesmo que se usa a palavra “mesmo”?

Há alguns anos a Unicamp, em seu vestibular, propôs uma questão que tinha como base uma comunidade da antiga rede social Orkut:

A proposição da questão deveu-se ao emprego bastante recorrente, porém inadequado, da palavra ‘mesmo’ como elemento de coesão referencial. A coesão referencial é o mecanismo por meio do qual retomamos uma ideia anteriormente apresentada no texto ou antecipamos o que ainda vai ser desenvolvido, sem que haja a repetição dos termos. (veja mais clicando aqui e aqui.

Para o estabelecimento dessas relações podemos empregar sinônimos, hiperônimos ou hipônimos e pronomes. Dentre os pronomes, os que fazem esse papel são, principalmente, os pessoais, os relativos e os demonstrativos. E entre os demonstrativos está o ‘mesmo’. Começam aí os problemas!

Embora o pronome “mesmo” seja demonstrativo, sua função é retomar uma oração ou reforçar um termo anterior, como vemos nas frases abaixo:

  • Meu pai serviu o Exército e espera que eu faça o mesmo. (mesmo = servir o Exército – substituição de toda uma oração)
  • Elas mesmas decoraram a casa. (mesmas reforça a ideia de que foram elas = elas próprias)

 

Temos, portanto, exemplos do correto emprego da palavra “mesmo” (e, no segundo caso, obedecendo as regras de concordância nominal).

O problema é que o pronome mesmo não substitui sempre um termo antecedente, como aparece na placa de advertência de elevadores:
“Antes de entrar no elevador, verifique se O MESMO encontra-se parado neste andar”.

No caso dessa frase a que a questão da Unicamp se refere, a coesão deveria ser estabelecida pelo pronome ‘ele’:
“Antes de entrar no elevador, verifique se ELE encontra-se parado neste andar”.

A retificação poderia, ainda, ser feita empregando-se a coesão por elipse:
“Antes de entrar, verifique se o elevador encontra-se parado neste andar”.
(elipse de ‘elevador’ na primeira oração)

O termo mesmo tem ainda outros empregos (corretos), quando pertence a outras classes de palavras:

  • Como adjetivo, com sentido de adequado, conveniente, exato, idêntico etc.:
    Resolvemos a equação, mas não obtivemos o mesmo resultado.
  • Como conjunção adverbial concessiva:
    Mesmo ferido, o soldado salvou a vida de vários companheiros.
  • Como advérbio, com o sentido de “até”, “ainda” etc:
    A vítima teve ferimentos leves e foi liberada ontem mesmo.
    Foi aqui mesmo que meus pais se conheceram.
  • Em expressões como “dar na mesma”; “na mesma” ou “dar no mesmo”.
    Para minha avó, tomar o remédio ou tomar um chá, dá no mesmo.

Assim, podemos empregar o mesmo sem receio, desde que tomadas essas precauções.

Até a próxima semana!


Margarida Moraes é formada em Letras pela Universidade de São Paulo (USP). Com mais de 20 anos de experiência, corretora do nosso Curso de Redação Online (CLIQUE AQUI para saber mais) e responsável pela resolução das apostila de Linguagens e Códigos do infoEnem, a professora é colunista de gramática do nosso portal. Seus textos são publicados todos os domingos. Não perca!

Compartilhar

Comentários

Paula Fernandes

Eu estava “mesmo” precisando destas dicas para não errar mais na hora da redação. Obrigada!

Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *