Câmara da Unicamp Aprova Vagas Via Sisu, Cotas e Vestibular Indígena

No início deste mês de novembro a Câmera Deliberativa do Vestibular da Unicamp – Universidade Estadual de Campinas – aprovou a proposta para uso do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) como forma de ingresso, além das cotas étnico-raciais e de um processo seletivo específico para indígenas.

Segundo a assessoria de comunicação da Comvest – Comissão Permanente Para o Vestibular da Unicamp, o documento final será elaborado a partir das divergências discutidas em reunião extraordinária agendada para esta terça-feira (14). Posteriormente, será encaminhado para votação do órgão máximo da universidade, o Conselho Universitário (Consu), na data de 21 de novembro.

Conforme matéria explicativa publicada aqui no Portal infoEnem, a proposta inicial para as mudanças no Vestibular da Unicamp prevê a reserva de 15% do total de vagas para candidatos autodeclarados pretos e pardos (cota étnico-racial), além de 20% das carteiras para preenchimento via Sisu, sistema unificado do Ministério da Educação (MEC) que usa o Enem – Exame Nacional do Ensino Médio – como critério único de classificação.

Na última reunião, no entanto, foram propostas algumas especificações em relação ao Sisu. Um delas é destinar, da porcentagem anteriormente informada, 10% para estudantes egressos de escolas públicas, 5% para candidatos pretos ou pardos e que também sejam da rede pública, além de outros 5% para pretos e pardos sem considerar o tipo de unidade de ensino.

Houve ainda uma proposta para organização de um processo seletivo que usa exclusivamente as notas do Enem, assim como o Sisu, porém que seja organizado internamente pela própria Comissão de Vestibular da instituição.

Vale reforçar que tais mudanças são discutidas apenas para o vestibular 2019 da Unicamp, com a meta de atingir 50% dos estudantes – por curso e turno – oriundos da rede pública juntamente com o índice de 37,5% de pretos, pardos e indígenas, em conformidade com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) no estado de São Paulo.

As informações são de reportagem do Portal de Notícias G1.

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *