ASSOCIAÇÃO DE GERADORES EM SÉRIE E EM PARALELO

Há algum tempo atrás estudamos sobre os geradores, onde foram explicadas as suas definições, assim como o cálculo de sua potência, através da força eletromotriz gerada. Na postagem a seguir, vamos entender como funcionam as associações em série e em paralelo destes geradores, além de explicar o seu cálculo.

Como já estudamos anteriormente, os geradores são equipamentos capazes de transformar algum outro tipo de energia em energia elétrica. As pilhas e baterias, por exemplo, transformam a energia química de seus componentes em energia elétrica. Uma usina hidrelétrica, por sua vez, transforma a energia mecânica das quedas d’água em energia elétrica.

Em casos onde temos um único gerador, a potência fornecida será igual a sua potência real. Porém, em diversas situações, utilizamos os geradores combinados, em função de algumas finalidades. Começaremos pela associação em série. Observe no exemplo abaixo duas pilhas associadas em série:

Associação de Geradores em Série

A associação de geradores em série ocorre quando há a necessidade de se aumentar a foça eletromotriz fornecida. Desta forma, quando conectamos dois geradores em série, a força eletromotriz resultante será igual a soma das forças eletromotrizes associadas em série, ou seja:


Eresultante = E1 + E2 + E3 +…+ En

Sendo assim, para o exemplo das duas pilhas associadas em série, a força eletromotriz resultante será:


Eresultante = E1 + E2

Para realizar a associação em série de duas pilhas, é necessário somente conectar o polo negativo de uma pilha com o polo positivo da outra, de forma a obter a resultante que mostramos acima. Sendo assim, a associação em série de geradores é utilizada quando se deseja aumentar a força eletromotriz fornecida!

Além disso, a associação em série pode ser utilizada para aumentar o tempo de funcionamento de alguns equipamentos. Por exemplo o controle remoto, onde geralmente são utilizadas duas pilhas em série (sim, em série! Embora a disposição possa parecer enganosa, o modo de ligação mostra que elas estão associadas em série!). Como prova disso, você pode tentar ligar o controle somente com uma pilha, em uma associação em paralelo funcionaria, porém na associação em série o controle não funcionará, uma vez que o circuito fica aberto!), para aumentar o tempo de operação sem a necessidade de troca das pilhas! Além de outros equipamentos eletrônicos, como carrinhos de controle remoto, bonecas e brinquedos em geral.

Associação de Geradores em Paralelo

O outro tipo de associação possível é a associação de geradores em paralelo. Abaixo está uma exemplificação deste tipo de associação.

Entretanto, não existem aplicações deste tipo de ligação para geradores, e vamos explicar o porquê. Em uma situação onde este tipo de ligação acontecesse, não haveria aumento na força eletromotriz produzida, que se manteria a mesma! A única alteração em relação aos componentes seria a redução da resistência interna de cada gerador. Deste modo, os geradores operariam abaixo de sua capacidade, o que não resultaria em ganho nenhum para o sistema, além do aumento dos custos de operação. Sendo assim, você provavelmente nunca verá geradores associados em paralelo!

Com isso encerramos mais uma explicação sobre associações de componentes elétricos. Já estudamos resistores, capacitores e agora os geradores. Estes são os componentes mais cobrados pelo Enem e outros vestibulares, e com isso devemos estar atentos as variações para cada tipo de componente.

Compartilhar
Manual do Sisu e Prouni

Receba GRATUITAMENTE o Manual para Sisu e ProUni




Sim Não




Outros artigos que você vai gostar:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *