Análise de Tema de Redação – ENEM 2011

Olá, leitores!

Como vão vocês?

Antes de iniciarmos o texto de hoje, gostaria de parabenizar, atrasado, mas porque meus textos saem às quintas-feiras, todos os professores brasileiros pelo dia do professor, que foi comemorado na última terça-feira, dia 15 de outubro. Parabéns pelo trabalho, pelo esforço apesar de todas as dificuldades e pela dedicação! E obrigada por visitarem o InfoEnem, divulgarem nossas publicações nas redes sociais, para os seus alunos. Obrigada pela confiança!

Hoje, analisaremos o penúltimo tema de redação, o do ENEM 2011, cujo tema foi Viver em rede no século XXI: os limites entre o público e o privado. A proposta de redação apresentava-se do seguinte modo:

Com base na leitura dos textos motivadores seguintes e nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija texto dissertativo-argumentativo em norma padrão da língua portuguesa sobre o tema VIVER EM REDE NO SÉCULO XXI: OS LIMITES ENTRE O PÚBLICO E O PRIVADO, apresentando proposta de conscientização social que respeite os direitos humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para defesa de seu ponto de vista.

Liberdade Sem Fio

 A ONU acaba de declarar o acesso à rede um direito fundamental do ser humano – assim como saúde, moradia e educação. No mundo todo, pessoas começam a abrir seus sinais privados de wi-fi, organizações e governos se mobilizam para expandir a rede para espaços públicos e regiões onde ela ainda não chega, com acesso livre e gratuito.

ROSA, G.; SANTOS, P. Galileu. Nº 240, jul. 2011 (fragmento).

A internet tem ouvidos e memória

Uma pesquisa da consultoria Forrester Research revela que, nos Estados Unidos, a população já passou mais tempo conectada à internet do que em frente à televisão. Os hábitos estão mudando. No Brasil, as pessoas já gastam cerca de 20% de seu tempo on-line em redes sociais. A grande maioria dos internautas (72%, de acordo com o Ibope Mídia) pretende criar, acessar e manter um perfil em rede. “Faz parte da própria socialização do indivíduo do século XXI estar numa rede social. Não estar equivale a não ter uma identidade ou um número de telefone no passado”, acredita Alessandro Barbosa Lima, CEO da e.Life, empresa de monitoração e análise de mídias.

As redes sociais são ótimas para dissemiar ideias, tornar alguém popular e também arruinar reputações. Um dos maiores desafios dos usuários de internet é saber ponderar o que se publica nela. Especialistas recomendam que não se deve publicar o que não se fala em público, pois a internet é um ambiente social e, ao contrário do que se pensa, a rede não acoberta anonimato, uma vez que mesmo quem se esconde atrás de um pseudônimo pode ser rastreado e identificado. Aqueles que, por impulso, se exaltam e cometem gafes podem pagar caro.

Disponível em: http://www.terra.com.br. Acesso em: 30 jun. 2011 (adaptado).

  

 

A proposta de redação do ENEM 2011 tinha, em sua coletânea, três textos motivadores. O primeiro ressalta a importância fundamental e inescapável da internet para a sociedade atual, visto que a ONU declarou o acesso a ela um direito fundamental do cidadão, assim como saúde, educação e moradia e, para tanto, governos e organizações estão abrindo seus sinais de wi-fi a fim de proporcionar ao povo o livre acesso à rede. Apesar deste texto motivador abordar sinais abertos de wi-fi e de sabermos que a plena abertura dos mesmos e a sua boa qualidade ainda são difíceis no Brasil, a questão não é essa e sim a importância da internet na vida, na rotina das pessoas.

O segundo texto motivador diz respeito ao uso da rede, principalmente das redes sociais, tão populares entre os brasileiros. O autor ressalta que, nos Estados Unidos, uma parcela significativa da população já passa mais tempo conectado do que assistindo televisão e que, aqui, 72% dos usuários pretendem criar, acessar e manter um perfil em uma rede social – e sabemos que muita gente mantém mais de um perfil, em mais de uma rede social. E como afirma o texto, quem não está inserido neste meio, hoje, praticamente não existe.

Porém, tanto uso requer cuidados e é este viés que esta proposta aborda. A internet é um meio público e como no meio público físico, não devemos falar tudo o que pensamos a todo mundo; este é o conselho deste texto motivador. Ponderação e bom senso são essenciais, exaltações não e não devemos achar que estamos a salvo em casa, por trás do nosso computador, celular ou tablet.

O terceiro e último texto motivador é uma charge sobre monitoramento, na qual o homem monitorado apela para quem o está gravando para lutarem juntos contra a sociedade de controle, mas o vigia também é vigiado e vê-se pela sua expressão que ele não está contente com isso. E, segundo o viés da proposta de redação do ENEM 2011, nas redes sociais, vigiamos a vida alheia, mas também somos vigiados e devemos ter noção do que publicamos de nossas vidas, do nosso dia a dia na internet.

Assim, ao lermos o tema e a coletânea textual, devemos analisar que padrão temático ela estabelece. Por exemplo, a proposta de redação do ENEM 2011 (“Viver em rede no século XXI: os limites entre o público e o privado”) vinculava-se a um assunto mais amplo, “tecnologia”, e envolveu a discussão sobre privacidade no uso da internet na vida cotidiana, sob a forma das redes sociais. Isso comprova que o tema proposto é um recorte do assunto “tecnologia” sob o ponto de vista da “inserção da informática na vida cotidiana”, que poderia gerar também outros temas como “A influência do telefone celular nas relações interpessoais”, “O comércio eletrônico via Web”, “Inclusão digital e a mudança de hábitos de leitura” e “Hackers e crimes cibernéticos” etc.

Para desenvolver o tema proposto, o participante deveria abordar o uso das redes sociais, tais como MSN, Orkut, Twitter e Facebook, discutindo a questão da privacidade – quais os pontos positivos e negativos da exposição da vida pessoal que hoje ocorrem devido aos avanços tecnológicos. A redação deveria, portanto, problematizar as consequências dessa exposição excessiva que torna a vida privada cada vez mais pública e os riscos decorrentes dessa exposição, procurando defender uma tese, um ponto de vista a esse respeito e uma proposta de intervenção social que objetivasse a solução desta questão da confusão entre o público e o privado na internet, nas redes sociais.

Caso um candidato ao ENEM 2011 abordasse outros aspectos relacionados à inserção da informática na vida cotidiana, como inclusão digital, internet de um modo geral, referindo-se de forma superficial e paralela às redes sociais e à questão da privacidade, poderia ser considerada como fuga parcial ao tema, ou tangenciamento. Isso ocorre porque o autor partiu do assunto “tecnologia” (levando-se em conta que “assunto” é mais amplo do que “tema”) sem focalizar plenamente o tema “redes sociais e privacidade”. O tema foi abordado, portanto, apenas parcialmente, de maneira marginal, superficialmente. O tangenciamento também ocorrerá se a redação abordar a questão da privacidade sem relacioná-la às redes sociais ou se confundir a distinção entre público x privado com governamental x particular, gratuito x pago.

Dentro do assunto tecnologia, a não consideração dos limites entre o público e o privado na questão dos avanços em hardware, como tablets e smartphones, foi considerada fuga ao tema. Foi considerada também fuga ao tema a abordagem de temas relacionados a outros assuntos, como meio ambiente, saúde ou educação.

Na semana que vem, analisaremos o tema da redação do último ENEM, o de 2012, que foi O movimento imigratório para o Brasil no século XXI (vocês podem acessar a prova através do endereço http://download.inep.gov.br/educacao_basica/enem/provas/2012/caderno_enem2012_dom_amarelo.pdf) e como no domingo, dia 27 de outubro, teremos a prova de redação do ENEM 2013, aguardem nosso texto sobre ela, que sairá assim que o tema e o caderno de questões for divulgado.

Até lá e bons estudos nesta reta final!


*CAMILA DALLA POZZA PEREIRA é graduada em Letras/Português pela UNICAMP – Universidade Estadual de Campinas/SP – Atua na área de Educação exercendo funções relativas ao ensino de Língua Portuguesa, Literatura e Redação. Foi corretora de redação na 1ª fase e de Língua Portuguesa na 2ª fase do vestibular 2013 da UNICAMP – Universidade Estadual de Campinas/SP. Participou de avaliações e produções de diversos materiais didáticos, inclusive prestando serviço ao Ministério da Educação.

**Camila também é colunista semanal sobre redação do infoEnem. Um orgulho para nosso portal e um presente para nossos leitores! Suas publicações serão sempre às quintas-feiras, não percam!

Veja mais artigos da professora Camila

Compartilhar
Manual do Sisu e Prouni

Receba GRATUITAMENTE o Manual para Sisu e ProUni




Sim Não




Outros artigos que você vai gostar:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *