Alcanos, alcenos, alcinos, alcadienos, cicloalcanos e aromáticos

Já vimos aqui no portal infoEnem que os hidrocarbonetos representam uma importante função na química orgânica e que é possível classifica-los em alcanos, alcenos, alcinos, alcadienos, cicloalcanos e cadeias aromáticas. Não lembra, então clique aqui e acesse o artigo.

Agora vamos compreender o que diferencia cada um destes.

Alcanos, representantes das parafinas, são aqueles que, como o butano, apresentam uma cadeia aberta e somente ligações simples. É importante ressaltar que para cada uma dessas classificações podemos encontrar uma fórmula geral, que no caso dos alcanos é CnH2n+2, sendo n o número de átomos. Consequentemente, cicloalcanos são os que também apresentam apenas ligações simples, porém formando um ciclo. Sua fórmula geral é CnH2n.

Já os alcenos, dos quais o eteno é o principal exemplo, possuem ligação dupla, como podemos observar pelo nome, relembrando que os hidrocarbonetos que possuem uma ligação dupla possuem um “en” como parte intermediária de sua nomenclatura. A fórmula geral destes é CnH2n, assim como dos cicloalcanos. Seguindo esse raciocínio, aqueles que possuem ligação tripla são os chamados alcinos e um dos exemplos destes é o etino, conhecido como acetileno. Sua fórmula geral é CnH2n-2. Ainda seguindo o mesmo raciocínio, alcadienos são aqueles que possuem duas ligações duplas e, assim como os alcinos, apresentam fórmula geral CnH2n-2.

Com o benzeno como principal exemplo, aromáticas são as cadeias em que os carbonos formam um ciclo com ligações duplas alternadas. Nas cadeias chamadas também de anéis aromáticos, as ligações duplas são representadas por um círculo, o qual demostra o movimento dos elétrons que causa o fenômeno da ressonância. Na imagem abaixo podemos observar as três formas de representar a fórmula estrutural do benzeno.

 

Agora que sabemos como classificar os hidrocarbonetos de acordo com as insaturações de sua cadeia, precisamos compreender como nomear essas cadeias de acordo com a localização das ligações duplas ou triplas.

Para nomear um alcano podemos seguir os passos descritos no último artigo, já que ele não apresenta insaturações. Já no caso de um alceno devemos observar onde está a ligação dupla. Podemos observar que a cadeia abaixo representa um buteno, já que possui 4 carbonos na cadeia principal (que nesse caso é a única), uma ligação dupla e só possui carbonos e hidrogênios, caracterizando um hidrocarboneto.

Entretanto, como é possível dizer apenas pelo nome onde está essa ligação dupla? Neste caso, devemos colocar o número do carbono que possui a instauração. Porém, devemos começar a contar pelo lado mais próximo dessa instauração, no caso da direita para a esquerda. Deste modo, descobrimos que a instauração está no primeiro carbono, o que leva a cadeia a se chamar 1-buteno ou but-1-eno. Ainda sobre esta cadeia, é importante observar que só seria possível mais uma posição para a dupla, no meio da cadeia, já que se ficasse na outra extremidade, continuaria sendo o 1-buteno.

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *