Afinal, foi Golpe? Entenda a diferença entre Golpe e Revolução

Como deve saber, o momento político brasileiro não é nada tranquilo. Após o impeachment da presidente Dilma Rousseff, a esquerda acusa o senado federal e a câmera dos deputados de arquitetarem um golpe de estado contra a democracia brasileira.

Antes de tudo, é importante destacar que não é intuito do infoEnem se posicionar politicamente. Nossa pretensão se restringe à contribuir com algum embasamento teórico para que nossos leitores entendem diversos cenários históricos que podem aparecer no exame nacional e trazer informações para que cada um tire suas próprias conclusões dos atuais fatos ocorridos no nosso país.

Assim sendo, vamos ver as definições de Golpe e Revolução, de acordo com o professor André Lopes Ferreira, doutor em História pela Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (Unesp), campus de Assis, numa entrevista/consultoria ao site Nova Escola:

  • Revolução: uma transformação profunda, um movimento de grandes proporções que rompe com o que existia até então. Geralmente, ela surge das bases da sociedade e envolve um grande número de pessoas, alterando as estruturas políticas, econômicas e sociais. A Revolução Francesa, de 1789, é um exemplo. Ela contou com o envolvimento popular nas cidades e no campo e transformou a ordem vigente.
  • Golpe: iniciativa de elites políticas, econômicas e militares, não envolvendo a população, mesmo que, às vezes, contem com apoio popular. Dificilmente um golpe promove mudanças profundas. Em geral, eles ocorrem para preservar ou restaurar determinada situação política, como o que nasceu no Brasil em 1964. Uma cúpula militar apoiada por políticos destituiu o presidente João Goulart (1919-1976). Não havia um clamor popular para essa ação, embora parte da opinião pública tenha dado apoio a ela. A ideia era frear as mudanças que se anunciavam.

Como dito anteriormente, não queremos, de forma alguma, nos posicionar sobre as acaloradas discussões que tomam conta do país atualmente. Apenas trouxemos definições de um especialista da diferenças entre golpe e revolução.

Ademas, é importante ressaltar que, tal assunto, mesmo quando observado em períodos históricos não tão recentes, apresenta claramente posicionamentos absolutamente diferentes. Um bom exemplo é que, mais de cinquenta anos depois, muitos militares chamam o golpe militar de 1964 de revolução, revelando evidentemente um ponto de vista. E é claro que para os recentes acontecimentos, não seria diferente.

Fonte: acervo.novaescola.org.br

Compartilhar

Comentários

Marcos André do Nascimento

Caro Leitores, Golpe de Estado, segundo Paulo Bonavides é: contra um governante e sua forma de governa; é obra de pessoas que já participam do governo ou do ordenamento existente do Estado; golpe de Estado os fins são preestabelecidos e buscados com rigor, disciplina e obstinação; No Golpe de Estado existe um líder, a responsabilidade concentra-se todo em sua cabeça, e de suas aptidões e energia dependerá em larga parte o destino do movimento; O golpe de Estado em geral são de índole autocrática, reacionária e ditatorial; Resumidamente o golpe de Estado é a prevalência do interesse egoísta de um grupo ou satisfação de uma sede pessoal de poder. (Paulo Banavides, Ciência Política 10ª edição, Editora malheieros?

Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *