7 Dicas Indispensáveis para Estudar Física para o Enem

Diferentemente de outras matérias, o estudo de física traz diversas dificuldades e, muitas vezes, até medo nos estudantes que estão se preparando para o Enem.

E motivos para isso não faltam. Afinal, além do extenso conteúdo, a disciplina também exige boa interpretação e uma ótima base matemática. Ou seja, para resolver uma questão de física, é necessário que o estudante esteja familiarizado com outras disciplinas.

Colocar fórmulas na geladeira, decorebas e cantarolar músicas para gravar conceitos são apenas algumas das várias técnicas que, na prática, acabam pouco ajudando na hora do exame.

Pensando nisso, separamos 7 dicas que farão seus estudos em física renderem de verdade. Assista o vídeo e leia as dicas logo abaixo.

Vamos lá!

  1. Não decore fórmulas
    Calma. Eu sei que saber a fórmula é indispensável para resolver inúmeras questões. O que estamos tentando mostrar é a importância de aprender aplicá-las. E para isso acontecer, é necessário realizar muitos exercícios, certo? Tantos exercícios que não vale a pena perder tempo “decorando”. Ou seja, após estudar a teoria e começar a fazer muitos exercícios, depois do quarto ou quinto, sem perceber, já terá fixado a fórmula, inclusive de uma maneira muito mais eficiente.
  2. Não tenha medo de sofrer
    A dificuldade é parte fundamental do aprendizado. Portanto, comece com os exercícios mais fáceis e até previamente resolvidos. Muitos materiais, inclusive, trazem resoluções bastante detalhadas de professores (Clique aqui e veja um dos melhores materiais do mercado com resoluções de edições antigas do Enem). Entretanto, depois de se adaptar com os mais simples, não se acomode e vá, progressivamente, para os mais complicados. Quanto mais dificuldades superar nos estudos, mais facilidades encontrará na hora da prova.
  3. Não se esqueça de estudar física moderna
    Embora dificilmente sejam abordados dentro das salas de aula, diversos conteúdos relacionados à física moderna aparecem em praticamente todas as edições do Enem. Espectro eletromagnético e física quântica são ótimos exemplos. Não acredita? Então clique aqui e veja um exemplo. Ou seja, ignorar esses conteúdos pode ser decisivo no seu desempenho.
  4. Esqueça a calculadora
    Não importa se você sabe fazer a conta. Deixando de utilizar a calculadora, a eficiência dos seus estudos só tende a melhorar, pois as chances de errar bobagem diminuem, juntamente com o tempo gasto para a realização das operações. Aliás, tempo é um “bem” extremamente escasso no Enem. Por isso, não tenha preguiça! Guarde sua calculadora bem longe das apostilas e livros preparatórios.
  5. Ajude amigos com maior dificuldades
    Sabe aquele colega que tem mais dificuldade que você e vive torrando sua paciência com pedidos de ajuda? Talvez não saiba, mas ele pode ser mais útil do que você imagina. Ensinar alguém é, sem dúvida alguma, uma das melhores maneiras de fixar conteúdos.
  6. Faça o maior número de deduções possíveis
    O melhor exercício de cada conteúdo é deduzir suas principais fórmulas. Esta dica, aliada a primeira descrita neste artigo, fará com que a “decoreba” se torne totalmente desnecessária. Além de deixar a porta da geladeira da sua mãe destinada apenas para recados do cotidiano.
  7. Deixe sua matemática “afiada”
    Não adianta nada estar totalmente familiarizado com os conteúdos de física e, na hora de resolver, acabar “escorregando” na matemática. Equações de segundo grau, determinantes (matrizes), inequações, operações básicas, potenciação e resolução de sistema são apenas alguns exemplos de assuntas da matemática que precisam estar “na ponta do lápis”.

Essas são as dicas.

Note que, em nenhum momento do texto, trouxemos algo que não exija esforço da sua parte. Muito pelo contrário! Estudar física, para a grande maioria das pessoas, é bastante tedioso e estressante. Isso não é apenas comum, é necessário! Em outras palavras, você precisará de muitos esforços, bastante foco e alta determinação para que seus estudos de física se tornem realmente eficientes.

Lembre-se que tentar “cortar caminho” fazendo musiquinhas e colando fórmulas no teto do quarto é a mesma coisa que enganar a si mesmo.

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *