Enem 2013 reprovou 12% dos corretores de redação

De acordo com dados do jornal O Estado de São Paulo, 845 dos mais de 7 mil avaliadores que participaram da correção das redações do Enem 2013 foram excluídos durante o processo de correção das provas. As redações que passaram por estes corretores foram avaliadas novamente por outros.

A eliminação destes 12% se baseou numa avaliação que atribuiu notas numa escala de 0 a 10, deixando de fora aqueles que obtiveram pontuação inferior a 7. A nota dos corretores foi concedida por meio do monitoramento de coordenadores / supervisores e também através de um teste no qual duas redações já corrigidas, a cada lote de 50, eram enviadas ao corretor para verificar se havia grandes desvios.

A avaliação ocorreu durante o período de correção das produções textuais da última edição do Enem e utilizava o seguinte critério: aquele corretor que obtivesse nota abaixo de 5 seria automaticamente eliminado; o que conquistou desempenho superior a 7 estava aprovado; e quem ficasse com pontuação entre 5 e 7 teria até duas chances de recuperação. No caso de uma terceira abaixo de 7, o corretor em questão seria ¨reprovado¨.

O treinamento dos avaliadores das redações do Enem 2013 se estendeu por um período de 136 horas, compreendendo módulos a distância e presenciais. Em comparação com a edição de 2012, tais dados mostram um aumento no critério e rigor das exigências, uma vez que naquele ano a capacitação levou 100 horas e somente 52 (menos de 1%) foram dispensados, num total de 5.558 corretores.

Mas não foi apenas a cobrança sobre os corretores que cresceu, a valorização também. Na edição passada cada um recebeu R$ 3,61 por redação avaliada, enquanto este valor foi de R$ 2,35 em 2012 e R$ 2,25 em 2011, conforme informado pelo Serviço de Informação ao Cidadão do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep).

Para José Francisco Soares, presidente do instituto, a utilização desta avaliação objetiva está no caminho certo para melhoria da qualidade do serviço de correção das redações do Enem:

“À medida que o sistema começou a funcionar, nós tivemos um número maior de corretores que foram excluídos. Não é que a gente queira excluir. Mas a gente está dizendo: na medida em que criei critérios objetivos, eu tenho pessoas que estão sendo consideradas não habilitadas. Nosso sistema está funcionando”.

Para a edição do Enem de 2014, o Inep ofereceu certificação para uma equipe de 969 integrantes, composta por supervisores, auxiliares e avaliadores que já atuaram na banca corretora. Ao final do processo, 677 participantes foram aprovados.

Fonte: Estadão

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *